Nissan LEAF põe em marcha revolução silenciosa nos táxis

img13945-oCidades por toda a Europa estão a assistir a uma revolução silenciosa, à medida que as companhias de táxis locais trocam os seus veículos convencionais a diesel pelos silenciosos Nissan LEAF de emissões zero.

O veículo eléctrico (VE) mais vendido em todo o mundo está rapidamente a tornar-se o favorito dos taxistas, atraídos pelos reduzidos custos de funcionamento e impulsionados por um desejo de reduzir a poluição nos centros das cidades.

Dois anos após o revolucionário veículo eléctrico ter sido colocado à venda na Europa, os táxis Nissan LEAF estão agora em funcionamento em Portugal, Holanda, Suíça, Alemanha, Espanha e Reino Unido. E mais países e cidades se preparam já para seguir este caminho!

Um dos mais firmes defensores da utilização do Nissan LEAF como táxi é a Taxi-E, empresa se táxis sedeada em Amesterdão, na Holanda. Com uma frota de 13 Nissan LEAF os condutores da empresa cobriram já mais de 700.000 km, uma distância superior à que separa a Terra da Lua.

Os Nissan LEAF são carregados em carga rápida duas ou três vezes ao dia utilizando energia 100 por cento verde, pelo que estão sempre prontos para transportar passageiros.

Um dos empresários que financiam a Taxi-E, Ruud Zandvliet, disse: “Amesterdão tem cerca de 3.000 táxis e apesar de a nossa frota estar a ajudar a reduzir as emissões, existe claramente espaço para reduzir ainda mais”.

Em Zurique, na Suíça, dez táxis Nissan LEAF estarão brevemente a operar apoiados por uma rede urbana de carregadores rápidos implantada por toda a cidade e que faz parte do plano municipal daquela cidade de ter 15% da sua frota convertida em táxis eléctricos em 2015. Os carregadores rápidos são capazes de colocar uma bateria do LEAF a 80% da sua capacidade total em apenas 30 minutos, mas como muitos dos táxis chegam aos postos com a bateria já parcialmente carregada o tempo de espera médio é de apenas 15 minutos.

Os Nissan LEAF também estão a ser um sucesso junto dos condutores de táxi por conta própria Europeus, visto que os custos de funcionamento, as contas de combustível e o tempo de paragem para manutenção são vitais para o seu sucesso. Estes guerreiros da estrada estão a tornar-se rapidamente defensores dos veículos eléctricos, mostrando aos seus colegas os benefícios de mudar de diesel para eléctrico.

No Reino Unido, a Phoenix Taxis possui um Nissan LEAF como parte da sua frota e já instalou três pontos de carregamento para veículos eléctricos na sua sede em Blyth, Northumberland. O Director-executivo Alexander Hurst disse: “O custo principal para qualquer taxista é o combustível. Com a subida mensal dos preços dos combustíveis, os veículos eléctricos estão a tornar-se a escolha lógica para as frotas de táxis”.

“O LEAF é incrivelmente luxuoso e os taxistas – reconhecidamente avessos a mudanças – adoram a condução do LEAF. Os comandos disponíveis através do volante também facilitam a vida dos condutores. Com uma poupança real de £5,000 (cerca de €5,900) por ano em “combustível” estamos a expandir a nossa frota e vamos ter mais 15 LEAF na estrada até ao verão de 2014”.

Em Portugal, o primeiro país na Europa a vender o Nissan LEAF, o taxista por conta própria José Ferreira, de Lisboa, substituiu o seu táxi a diesel por um Nissan LEAF. Até agora conduziu mais de 15.000 km fazendo entre 80 e 100 km por dia e revela que 70 por cento dos seus clientes apreciou tanto a experiência que preferem activamente ser transportados num táxi eléctrico.

Os custos de funcionamento e de combustível são os maiores factores para os motoristas de táxis por conta-própria, o que significa que cada euro conta. O condutor por conta própria Roberto San José, de Valladolid, Espanha, gastou apenas €1.000 em electricidade para alimentar o seu Nissan LEAF durante mais de 47.000 km. O combustível para um veículo a diesel teria custado mais de 5.000€, pelo que o Nissan LEAF poupou a Roberto mais de 4.000€, só em “combustível”.

Os patrões da Prima Clima estão a deixar a sua marca no negócio dos táxis em Hamburgo, Alemanha, com uma frota de quatro Nissan LEAF. Pintados na mundialmente famosa cor amarela pálida de todos os táxis alemães – com portas contrastantes que apresentam céus azuis e nuvens – esta frota é apoiada pelo Conselho Municipal da cidade e suportada pelos 50 pontos de carregamento normal e dois carregadores rápidos para veículos eléctricos.

Globalmente, os táxis Nissan LEAF estão a ajudar a reduzir a poluição nas ruas de Nova Iorque, Rio de Janeiro e muitas cidades no Japão.

Jean-Pierre Diernaz, Director de Veículos Eléctricos da Nissan para a Europa, disse: “Não há dúvida que o Nissan LEAF é o veículo ideal para os operadores de táxi. O seu funcionamento tem baixo custo e possui uma manutenção reduzida. É fácil de conduzir e os passageiros apreciam o espaço e o conforto”.

“Do ponto de vista do condutor, a forte aceleração do Nissan LEAF permite acompanhar facilmente o fluxo de tráfego e o aumento das redes de carregamento rápido permite um acesso mais fácil ao reabastecimento “rápido”. Com zero emissões e funcionamento silencioso, apenas um Nissan LEAF já é o suficiente para fazer a diferença na vida na cidade…”

Retirado de autoaftermarketnews

Anúncios

O táxi elétrico: 15 mil quilómetros depois

Leaf_taxi_eletricoO único táxi 100% eléctrico a operar na cidade de Lisboa, um Nissan Leaf, acaba de fazer oito meses de utilização e cerca de 15.000 quilómetros.

Os custos de utilização estão a ser bastante mais reduzidos em relação a um “vulgar” táxi com motor de combustão, asseguram as entidades que estiveram envolvidas neste projecto.

A ausência de manutenção e a autonomia de acordo com as necessidades também são porntos positivos ao fim deste período de utilização.

José Ferreira, o taxista que adquiriu esta viatura em Dezembro de 2012, diz que se trata de uma excelente opção para os profissionais que não partilham a condução do táxi com mais ninguém, trabalhem cerca de oito horas por dia e façam uma média de 100 quilómetros diários.

“Um automóvel eléctrico é extremamente agradável de conduzir, agrada aos clientes e é muito fiável. Ao fim de oito meses de utilização, as pastilhas dos travões (um dos órgãos mais sensíveis dos táxis) estão como novas e isso é resultado do conforto de condução e do facto de, em desaceleração, o motor do Nissan Leaf, ajudar a travar”, diz.

A existência de um Nissan LEAF na frota de táxis da cidade de Lisboa resulta de um protocolo estabelecido entre a Nissan Ibéria Portugal e a Prio.E, a unidade da Prio Energy responsável pelo desenvolvimento dos serviços de mobilidade eléctrica em Portugal e no estrangeiro.

“Quando, em Agosto de 2012, aceitei o desafio de trabalhar com um táxi Nissan LEAF, estava longe de imaginar que ia gostar tanto”, diz José Ferreira. “Mas apesar de sempre ter operado com uma marca “premium”, a verdade é que fiquei rendido ao Nissan Leaf e, em Dezembro de 2012, resolvi mesmo adquiri-lo. E a opção é fácil de justificar: conforto, silêncio, satisfação dos clientes e, claro, a racionalidade dos números. Para além do interessante preço de aquisição, a Prio.E propôs um pacote de serviços bastante competitivo. Em relação ao tempo em que operava com um táxi equipado com um motor diesel, os custos são 50% inferiores.”

Fonte: fleetmagazine

Táxis de Londres eleitos como os melhores do mundo

Os táxis de Londres foram votados os melhores do mundo pelo quinto ano consecutivo, de acordo com pesquisa anual da Hoteis.com. A capital do Reino Unido conquistou 11% dos votos, seguida por Nova York, com 6,4%, e Tóquio, com 5,6%.

Turistas votaram de acordo com sete categorias, das quais os icônicos táxis pretos de Londres lideraram em cinco – simpatia, conhecimento do trajeto, limpeza, segurança e qualidade de direção – ao mesmo tempo em que foram eleitos o pior na categoria valor. Nova York passou Londres no posto de melhor cidade com disponibilidade de frota, com seus famosos taxis amarelos. Já Bangkok liderou a lista de melhor valor.

Apesar de Londres e Nova York estarem à frente na primeira e segunda posição, os taxis de países da região Ásia Pacífico estão crescendo em popularidade, com Tóquio, Xangai e Bangkok se qualificando entre o top cinco.

A pesquisa sobre táxi da Hoteis.com também revelou algumas atividades não convencionais de turistas de todo mundo. Entre os brasileiros, metade dos entrevistados (50%) assumiu ter dormido dentro do táxi, enquanto 20% contou ter mudado de roupa. Comprovando a alegria dos brasileiros, 30% das pessoas que participaram da pesquisa afirmaram que já cantaram durante o trajeto de táxi

Segurança foi votada como a qualidade mais valorizada no táxi, seguida por conhecimento do trajeto e valor. E a nação que mais gasta com táxi é a Austrália, enquanto os italianos são os que menos usam esse meio de transporte.

Fonte: brasilturis