Estas são as novas “turbo-rotundas” e vão chegar a Portugal brevemente!

Sabia que maior parte dos portugueses não sabe como circular numa rotunda? Isto pode ver-se através do número de autos de contraordenação levantados nos últimos dias que dizem respeito a transgressões nas rotundas.

No total, mais de 3000 condutores foram multados, e contando só desde que a nova revisão do Código da Estrada entrou em vigor.

É importante estar sempre informado das novas alterações para evitar surpresas, e ainda por cima agora as transgressões nas rotundas já contam para o sistema de pontos da Carta de Condução.

Atualmente, o código da estrada manda circular sempre encostado à esquerda, exceto se a saída que pretende esteja localizada logo a seguir. Isto é, apesar de você circular na via mais à direita, caso um condutor lhe bata ao tentar sair da rotunda e você não for sair nessa saída, é o culpado do acidente mesmo apresentando-se pela direita.

Segundo a GNR, as rotundas não estão bem-feitas porque “não têm todas a mesma configuração e isso contribuiu para que existam mais transgressões” (major Paulo Gomes).

Uma vez que as rotundas não são uniformizadas, a Prevenção Rodoviária Portuguesa explica que cabe ao condutor adotar regras específicas apropriadas a cada caso:

  • O condutor deve reduzir a velocidade ao aproximar-se de uma rotunda e escolher a via mais conveniente ao seu destino, caso exista mais que uma;
  • Todos os veículos, até os de tração animal, têm prioridade quando circulam dentro de uma rotunda, perante os veículos que vão entrar na mesma.

A circulação nas rotundas atuais deve ser feita como ilustram as figuras 3, 4, 5 e 6. Quanto ao caso específico dos veículos de tração animal, velocípedes e veículos pesados, devido à sua configuração e/ou manobrabilidade reduzida, estes podem circular sempre na via mais à direita. Porém, devem facilitar a saída aos que circulam na rotunda e até mesmo parar se for preciso.

Os condutores que queiram sair da rotunda devem dar a conhecer a sua intenção aos restantes antecipadamente, com recurso às luzes de sinalização, e mudando de faixa gradualmente caso haja várias vias.

Alerta: por causa da complexidade da questão, as companhias de seguros aproveitam-se das rotundas para fugir às responsabilidades. Na verdade, mais de 70% dos acidentes em rotundas são “resolvidos” pelas companhias como 50/50. Desta forma, não têm de pagar os danos a nenhum interveniente e a despesa fica totalmente a cargo de cada um deles.

Para evitar isto, o melhor a fazer, até mesmo em situações pacíficas, é chamar as autoridades para que seja realizada a medição no local.

Finalmente, é importante referir que os problemas nas rotundas podem vir a diminuir devido à introdução das “turbo-rotundas”, que já foram implementadas em alguns países e parecem facilitar!

Retirado de partilhado

Anúncios

Como circular nas rotundas e evitar multas

Circular nas rotundas é fácil, basta saber as regras que tem de seguir e respeitar

Como circular nas rotundas e evitar multas

Não se engane, faça-as como deve ser

Quando estamos na estrada vemos vários condutores a circular nas rotundas quase como se não existissem quaisquer regras aplicáveis. Infelizmente é algo que põe várias pessoas em perigo, causa acidentes desnecessários e pode levar a uma coima de €60 a €300.

Circular nas rotundas não é nenhum bicho de sete cabeças, mas muitos condutores acreditam que sim pela confusão que existe por aí quanto às regras e às suas alterações. Para compreendermos melhor, vamos dar uma vista de olhos ao Código da Estrada (CE).

O que fazer na rotunda?

De acordo com o Artigo 14.º – A, há certos comportamentos a seguir:

  • “Entrar na rotunda após ceder a passagem aos veículos que nela circulam, qualquer que seja a via por onde o façam; “
  • “Se pretender sair da rotunda na primeira via de saída, deve ocupar a via da direita;”
  • “Se pretender sair da rotunda por qualquer das outras vias de saída, só deve ocupar a via de trânsito mais à direita após passar a via de saída imediatamente anterior àquela por onde pretende sair, aproximando-se progressivamente desta e mudando de via depois de tomadas as devidas precauções;”

Os dois primeiros são os pontos mais claros que nos indicam como circular nas rotundas. Sobre isto não há muito a dizer, temos que esperar para poder entrar na rotunda, e circular pela direita no caso de seguirmos pela primeira saída.

A terceira já pode criar algumas dúvidas. Tomando como exemplo uma rotunda com quatro saídas, digamos que queremos sair na terceira. Isto significa que entramos na rotunda e vamos para a via da esquerda, e circulamos nela até passarmos a saída anterior à nossa. Assim que isto acontecer, vamos para a via da direita para podermos sair.
No caso de querermos ir para a vida da direita e já existir um automóvel na mesma, este tem prioridade e temos que esperar que este passe. No caso de haver um acidente, seriamos nós os culpados.

Temos que seguir as regras, mesmo quando os outros não o fazem.

Que precauções se deve ter?

Ao circular nas rotundas temos sempre que tomar certas precauções. Entre elas, é de salientar a prioridade dos outros condutores e a sinalização das nossas intenções. Deve sempre ceder a passagem a veículos ao entrar na rotunda e ao mudar de via dentro desta.

Caso vá utilizar a primeira saída, deve indicar a sua intenção através dos piscas da direita, indicando que vai sair logo da rotunda.

No caso de circular pela via da esquerda inicialmente, utilize os piscas da esquerda para indicar que vai continuar na rotunda. Assim que passar para a via da direita, troque os piscas para indicar a sua intenção de saída.

Existem ainda exceções nas rotundas, sendo que veículos de tração animal, velocípedes, e pesados podem circular pela via da direita, facultando a saída aos restantes condutores. O incumprimento leva, mais uma vez, a uma coima de €60 a €300.

Retirado de e-konomista