Vendas para Rent-a-car somaram 42 mil unidades em 2015

rent-a-car

As vendas de automóveis para o Rent-a-car (RAC) cresceram 31% no ano passado, para 41.937 unidades, equivalendo a cerca de 23,5% do mercado de ligeiros de passageiros, de acordo com os dados da ARAC, a associação que reúne as empresas do sector. No mercado dos comerciais ligeiros, o Rent-a-car somou 3.326 unidades, mais 13% que em 2014.

Em ternos agregados, o RAC fez 22% do total de vendas de veículos ligeiros, afirmando-se como o maior canal do mercado e um dos grandes impulsionadores das vendas de veículos semi-novos.

O ano recorde de turismo, com mais de 9,6 milhões de turistas entre janeiro e julho e um crescimento das receitas de dois dígitos, animaram o mercado do aluguer de automóveis, que entre junho e setembro, no pico da época alta, tinha um parque de cerca de 75 mil veículos em circulação.

Retirado de automonitor

Anúncios

Um dia ao volante de um Bugatti Veyron custa 19 000 euros

thumbs_sapo_ptCALEFQJ9111111111Rent-a-car britânica oferece aos seus clientes a possibilidade de alugar o carro de produção em série mais rápido do mundo

Não é um pedido muito comum nem de risco fácil de comportar, mas a rent-a-car britânica Holders Vehicle Contracts quis tornar-se reconhecida à conta de um veículo muito especial: um fabuloso Bugatti Veyron, disponível para qualquer pessoa que não se importe de pagar 19 mil euros para conduzi-lo durante um dia.

Já se sabe que nem toda a gente pode pagar o milhão de euros pedido pela Bugatti no caso de querer tornar-se um proprietário. E por isso os 19 mil euros até parecem razoáveis face a tamanha grandeza. A Holders Vehicle Contracts oferece ainda uma tarifa especial de fim-de-semana (sexta, sábado e domingo) que lhe custará “apenas” 52 mil euros. Uma bagatela, até porque assim não precisa de se preocupar com os custos da manutenção. Depois não se esqueça de nos dizer como foi a experiência, sim?

Retirado de turbo sapo

Empresas “rent-a-car” têm de colocar dispositivo eletrónico

img_300x400$2013_05_01_22_22_45_199704As empresas de aluguer de veículos deverão equipar “cada um dos veículos integrados na sua frota, com um dispositivo eletrónico de uma Entidade de Cobrança de Portagens, aderindo a um sistema de pagamento automático”, refere a portaria do Ministério da Economia publicada em Diário da República.
De acordo com o documento, assinado pelo secretário de Estado dos Transportes, a adesão dos clientes a este serviço deverá estar expressa no contrato de aluguer. O diploma prevê ainda que, pela disponibilização deste meio de pagamento, “e desde que se venha a confirmar a sua utilização pelos clientes”, as empresas de aluguer de veículos podem cobrar “os custos incorridos com o serviço, com um limite máximo de 1,50 euros, acrescido de IVA, por cada dia de aluguer do veículo, e com um limite máximo de 15 euros, acrescido de IVA, por mês e por contrato de aluguer”. No entanto, estes valores poderão ser atualizados anualmente em função da taxa de inflação. Quanto ao montante das taxas de portagens relativo à utilização das autoestradas que têm apenas o sistema de cobrança eletrónica, será debitado aos clientes. Mas “sempre que não esteja em vigor um contrato de aluguer”, o pagamento deve ser realizado pelas empresas detentoras da frota automóvel.