Londres só vai autorizar carros elétricos no centro da cidade

O governo local de Londres vai fazer uma experiência em que vai banir todos os automóveis com motor a gasolina e Diesel do centro histórico da cidade, oficialmente conhecido como Cidade de Londres ou “The City”. A nova Zona de Baixas Emissões vai afetar grande parte do centro histórico, e apenas carros 100 por cento elétricos ou híbridos plug-in, que podem fazer grandes percursos na cidade sem ligar o motor a gasolina, vão ser autorizados a circular nesta zona.

Londres já estava a planear introduzir esta Zona em abril de 2019, mas a responsável camarária pela qualidade do ar da cidade revelou que não era suficiente para se manter dentro dos limites máximos autorizados de poluição. A Zona de Baixas Emissões foi originalmente concebida para manter os veículos a gasolina mais antigos que Euro 4 e Diesel mais antigos que Euro 6 longe do centro da cidade, obrigando os seus proprietários a pagar uma taxa diária de 12,50 libras, em efeito durante 24 horas por dia e sete dias por semana. A nova zona “zero” destina-se apenas ao centro histórico, e vai implicar a proibição total a qualquer carro que não possa circular em modo elétrico.

Esta proibição deverá ser aplicada apenas a veículos de passageiros, e não deverá afetar os veículos comerciais ou transportes públicos, que não foram mencionados. A frota de táxis já é elétrica, mas muitos dos autocarros de dois andares ainda circulam unicamente a gasóleo, e o programa de substituição da frota originalmente proposto por Boris Johnson foi interrompida por Sadiq Khan.

Durante a fase de experiência, vai ser medido o quanto isto afeta o acesso dos cidadãos locais e quanto pode melhorar a qualidade de vida na cidade. A Cidade de Londres costuma ter acumulação de óxidos de azoto na atmosfera que é superior ao dobro permitido pela União Europeia.

Retirado de motor24

Anúncios

Táxis de Londres eleitos como os melhores do mundo

Os táxis de Londres foram votados os melhores do mundo pelo quinto ano consecutivo, de acordo com pesquisa anual da Hoteis.com. A capital do Reino Unido conquistou 11% dos votos, seguida por Nova York, com 6,4%, e Tóquio, com 5,6%.

Turistas votaram de acordo com sete categorias, das quais os icônicos táxis pretos de Londres lideraram em cinco – simpatia, conhecimento do trajeto, limpeza, segurança e qualidade de direção – ao mesmo tempo em que foram eleitos o pior na categoria valor. Nova York passou Londres no posto de melhor cidade com disponibilidade de frota, com seus famosos taxis amarelos. Já Bangkok liderou a lista de melhor valor.

Apesar de Londres e Nova York estarem à frente na primeira e segunda posição, os taxis de países da região Ásia Pacífico estão crescendo em popularidade, com Tóquio, Xangai e Bangkok se qualificando entre o top cinco.

A pesquisa sobre táxi da Hoteis.com também revelou algumas atividades não convencionais de turistas de todo mundo. Entre os brasileiros, metade dos entrevistados (50%) assumiu ter dormido dentro do táxi, enquanto 20% contou ter mudado de roupa. Comprovando a alegria dos brasileiros, 30% das pessoas que participaram da pesquisa afirmaram que já cantaram durante o trajeto de táxi

Segurança foi votada como a qualidade mais valorizada no táxi, seguida por conhecimento do trajeto e valor. E a nação que mais gasta com táxi é a Austrália, enquanto os italianos são os que menos usam esse meio de transporte.

Fonte: brasilturis