Fórmula E eléctricos com emissões zero são alimentados a diesel

Fórmula E eléctricos com emissões zero são alimentados a diesel

Sabia que a electricidade que é utilizada pelos monolugares de Fórmula E é produzida no paddock por grandes geradores alimentados a diesel?… Os monolugares têm emissões zero, mas o gasóleo que os alimenta é o combustível proscrito que os políticos mais radicais querem erradicar.

Esta realidade é tão verdade nas provas de uma nova temporada de Fórmula E, que começa a 15 de Dezembro na Arábia Saudita, como nos testes que se realizaram no circuito espanhol de Valência, onde os monolugares recebiam a energia produzia por sete geradores, cada um associado a um depósito de 3.000 litros de gasóleo.

Não sabemos quanto dos 21.000 litros de diesel foi queimado mas sabemos que, em pista, os monolugares não produzem emissões poluentes. Só que, no paddock, as chaminés (sem filtros de partículas) lançam para o ar o fumo do gasóleo com o CO2 e todas as partículas inerentes. Isto mostra, de forma evidente, que num mundo feito de contradições o desporto automóvel não é uma excepção.

O que se passa nas pistas onde os Fórmula E ostentam a chancela ecológica, também acontece no dia-a-dia, onde os automóveis eléctricos são abastecidos com electricidade que foi produzida sabe-se lá como e não entra na contabilidade das emissões poluentes, apesar de na maioria dos países (Portugal é excepção) ter origem em combustíveis fósseis.

Não temos nada contra a electrificação, nem nada a favor do diesel, mas importa perceber que há muita demagogia nos argumentos de parte a parte. E não nos podemos esquecer de quem vende gato por lebre: em público assume a posição politicamente correcta da defesa das emissões zero, ao mesmo tempo que nos bastidores queima gasóleo à farta…

Mesmo com todas estas contradições a nova temporada reuniu nove construtores de automóveis, um número (talvez) inédito num campeonato internacional, o que diz bem da aposta das marcas na via eléctrica…

Retirado de aquelamaquina

Anúncios

Fórmula 1 elétrica terá corrida nas ruas de Roma

294x276

A Fórmula E, também conhecida por Fórmula 1 elétrica, vai ter uma corrida nas
ruas de Roma, logo na primeira edição do campeonato, marcada para 2014. A capital de Itália é a segunda cidade confirmada para uma competição que vai privilegiar as corridas citadinas.

O anúncio foi feito pelo presidente da FIA Jean Todt, em conferência de imprensa realizada em Roma.
Lucas di Grassi, piloto de testes da competição, realizar uma demonstração junto
ao Coliseu com um protótipo dos futuros carros de competição.

Roma junta-se ao Rio de Janeiro, que já tinha sido apresentada como cidade que ia
acolher a última etapa do campeonato. Recorde-se que Bernie Ecclestone, «patrão»
da Fórmula 1, nunca escondeu o desejo de levar a modalidade às ruas de Roma, mas
nunca conseguiu o acordo financeiro necessário com os responsáveis locais, algo
que Todt fez para a Fórmula E.

Bernie Ecclestone ridiculariza Fórmula 1 elétrica

Alejandro Agag, responsável máximo pela Fórmula E, congratulou-se com este anúncio. “É uma grande notícia para o campeonato”, começou por dizer.

“É a primeira cidade que anunciamos na Euripa mas já temos alinhavadas mais cinco ou seis. Mas por ser o primeiro, este é um grande momento para nós. Ainda para mais numa cidade como Roma que irá proporcionar um grande esptaculo com todos estes monumentos como pano de fundo. Estamos muito entusiasmados”, confessou.

A Fórmula E vai ter, também, duas corridas nos Estados Unidos. “Em cidades grandes dos Estados Unidos”, frisou Agag.

Veja um monolugar da Fórmula E em ação: