Sete Pecados Mortais do mundo automóvel

Raiva: Toyota Tacoma Pikes Peak

O Toyota Tacoma não é apenas o mais enraivecido Toyota de sempre, mas provavelmente o carro mais enraivecido do planeta. Desde as suas vitórias em 1998 e 1999 na prova de Pikes Peak nos Estados Unidos, o Tacoma tornou-se num ícone desta competição.

Conduzido pelo neozelandês Millen, o carro conquistou mais uma vez o público, desta feita no Festival de Goodwood of Speed em 2007 onde parece querer matar o piloto a cada metro que percorre e quase devora um Range Rover no final…

Gula: Lamborghini LM002

Apenas uma marca como a Lamborghini seria capaz de desvendar um carro como o LM002 (é importante ressaltar que o Humvee foi produzido pela primeira vez em 1984). Lançado em meados da década de 80 (1986 para ser mais exato), estava equipado com um motor V12 a gasolina de 7,2 litros utilizado nas lanchas Classe 1 de alto mar ou com um relativamente modesto motor a gasolina 5,2 litros V12 do Countach e pesava 2,7 toneladas sem carga. Felizmente tinha um depósito de combustível com 290 litros.

Podem ser estabelecidas ligações com os dias de hoje, com a Bentley e a Lamborghini a apresentarem os seus novos SUV, com o mercado-alvo a não incidir sobre os tradicionais enclaves europeus, mas as paisagens arenosas do Médio Oriente.

O LM002 simboliza uma era de excesso e de gula um pouco antes da crise de 1987 quando os mercados de ações em todo o mundo quebraram. O LM002 acabou por tornar-se obsoleto, mas estava criado um mito.

aqui o que pensava o britânico Jeremy Clarkson do programa Top Gear sobre o LM002

Preguiça: O carro alugado de 1,0 litros!

Já todos estivemos nesta posição, aterrarmos num destino idílico que tínhamos reservado para a nossa semana de merecido descanso e seguimos até ao balcão de aluguer de automóveis com trepidação.

Que carro nos vai calhar? Espera-se que tenhamos direito a algo melhor, mas é improvável porque reservamos a opção mais barata possível e, em seguida, apostamos que a opção hatchback económico teria espaço para a nossa bagagem, barbatanas, prancha de windsurf e os nossos corpos cansados. Eis que recebemos as chaves do supermini de 1.0 litros que reservamos e com o ar condicionado a tossir um ar levemente fresco para os nossos rostos preparamo-nos para uma batalha por estradas desconhecidas.

O que acabamos por perceber quando puxamos por ele na autoestrada, provavelmente com uma ligeira inclinação, é que o nosso carro novo, repleto com jantes de 13 polegadas, é pateticamente lento e precisa de 6000 agoniantes rotações para chegar ao hotel sem atrasar o agricultor local em cima do seu trator.

Cruza os dedos para teres sorte com o hotel.

Ganância: Mercedes Pullman/Zil

Quando falamos sobre as ditaduras da guerra fria associamos imediatamente a limusinas negras que transportavam a elite pelas estradas da África Central e Europa de Leste.

O Mercedes Pullman já transportou Idi Amin, o presidente Ferdinand Marcos, das Filipinas, Saddam Hussein e até o Papa. O carro está equipado com um potente, para a época, motor de 6.3 litros e circulava sobre uma complexa suspensão de ar.

A versão Laundaulet é a mais emblemática e a sua produção terminou em 1980, embora tenha havido uma desaceleração na produção após a crise do petróleo de 1972. Conhece aqui um pouco mais deste luxuoso automóvel.

A Zil produz camiões tão bem como carros, mas é pela divisão de limusinas que é mais famosa, apesar do seu baixo rendimento. Têm preços semelhantes aos carros da Rolls-Royce e da Maybach e tendem a transportar ministros de governos.

Este anúncio transmite realmente o que era a URSS!

Orgulho: BMW Série 3

Acima de tudo o Série 3 tornou-se num símbolo de status para os gestores de nível médio. Claro que é um carro muito bom, possivelmente o melhor carro à venda hoje em dia, mas é também um símbolo para muitas pessoas que o compraram e que querem que toda a gente saiba disso.

O Série 3 moveu-se com os tempos na Europa Ocidental. Antes o homem comum conduzia um Mondeo e era chamado o “Mondeo man”, mas hoje o Série 3 vende mais que o Ford. Ficamos mais ricos e o crédito foi durante muito tempo mais acessível. O Série 3 simboliza estas mudanças como nenhum outro carro. E nós estamos orgulhosos disso.

Luxúria: Mercedes 300SLR (carro número 722)

O carro mais valioso do mundo? É largamente reconhecido que se alguma vez chegasse ao mercado o carro número 722 conduzido por Stirling Moss e co-pilotado por Dennis Jenkinson seria exatamente isso.

O carro número 722 venceu a Mille Miglia em 1955, com um tempo de 10h7m48s e uma velocidade média de 157,5 km/h. Moss e Jenkinson fizeram-no sem descansar e com o uso pioneiro de notas de traçado. O carro pesava apenas 810 kg, mas era alimentado por um motor de oito cilindros em linha de 310cv que estava equipado com válvulas desmodrómicas. No entanto, o carro número 722 deveria pesar bem mais com o depósito de 260 litros a transbordar.

Imagina-te a voar pelas estradas do interior de Itália a 290km/h, apenas com travões de tambor ou paredes de pedra para te fazerem parar e o facto de teres estado ao volante durante 10 horas seguidas e vais entender o porquê deste carro ser tão incrível.

É o carro que qualquer colecionador bilionário gostaria de ter no seu museu, mas ninguém vai ter essa sorte porque a Mercedes Benz nunca o vai vender. O carro número 722 faz parte da história da marca.

Inveja: Porsche 911 Turbo

Os que têm e os que não têm. Existem em todo o mundo, mas mais ainda no mercado financeiro. Mas afinal o que é que estes especuladores citadinos conduzem? O melhor de Stuttgart com certeza.

Escolhi o Turbo  porque é o que eu associo mais aos corretores de bolsa de fatos às riscas. Tem um kit de carroçaria e a palavra Turbo no nome. O que mais poderiam eles querer?

Incluí este vídeo de um RUF Yellowbird simplesmente porque este artigo é gratuito por natureza, e vou utilizar alegremente qualquer desculpa para ver este vídeo!

Fonte: autoviva

Anúncios

Condutores de ligeiros revalidam carta aos 30 anos de idade

Os condutores de veículos ligeiros vão passar a revalidar a carta de condução aos 30 anos e os motoristas de pesados passam a fazê-lo aos 25 anos, segundo as novas regras que entram em vigor em Janeiro.

O Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT) indica que a carta de condução vai ter novas regras a partir de 2 de Janeiro de 2013, tendo em conta o novo regulamento da habilitação legal para conduzir, que já foi publicado em Diário da República.

As novas regras estabelecem que, a partir do próximo ano, a revalidação da carta de condução se inicia aos 30 anos para os condutores de ciclomotores, motociclos e ligeiros e aos 25 anos para as restantes categorias.

Segundo o IMTT, os condutores de automóveis ligeiros e de motas vão ter de revalidar o título de 10 em 10 anos até aos 60 anos de idade, passando o tempo a ser encurtado para cinco anos e, depois, para dois anos a partir dos 70 anos de idade.

Para os motoristas de pesados, os prazos de revalidação são sempre de cinco anos até aos 65 anos de idade, sendo esta a idade limite para conduzir este tipo de veículos.

O IMTT adianta que os novos prazos de validade só são aplicáveis para as cartas emitidas após 2 de Janeiro de 2013, mantendo-se os títulos anteriores a 2013 com a validade que consta na carta actual.

As novas regras indicam que a revalidação é meramente administrativa aos 30 e 40 anos para os condutores de ligeiros e aos 25 anos para os motoristas de pesados.

O exame médico e psicológico mantém-se obrigatório para a revalidação da carta a partir dos 50 anos para as categorias de ciclomotores, motociclos e ligeiros, enquanto para as restantes categorias é a partir dos 25 anos.

O novo regulamento exige igualmente um “maior rigor na avaliação da aptidão física e mental”, tornando-se “mais exigentes no que respeita às condições de visão, diabetes e epilepsia”.

O IMTT indica ainda que, a partir de 2 de Novembro, a prova teórica vai passar a ter a validade de um ano e terá 40 questões, além de ser introduzida a condução independente durante a prova prática e é reduzido o número de faltas que conduzem à reprovação na prova prática.

Fonte: Publico

 

Motociclos sujeitos a inspeções obrigatórias a partir de agosto

Primeira inspeção é feita aos quatro anos e, em seguida, de dois em dois anos até perfazer oito anos.

Os motociclos, triciclos e quadriciclos com cilindrada superior a 250 cc vão passar a estar sujeitos a inspeções periódicas obrigatórias a partir do próximo mês de agosto.

A legislação foi publicada esta quarta-feira (11 de Julho) em «Diário da República» (ver aqui) e indica já todos os pormenores referentes a quando, como e onde devem ser realizadas estas inspeções, semelhantes às que já são feitas aos automóveis, pelas quais o Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT) será a entidade responsável.

Assim, os motociclos triciclos e quadriciclos com cilindrada superior a 250 cc, bem como reboques e semirreboques com peso superior a 750 kg, terão de se apresentar a inspeção quatro anos depois da primeira matrícula e posteriormente de dois em dois anos até completarem oito anos, altura em que terão de realizar a inspeção anualmente.

Os aspetos a analisar nas inspeções serão as emissões do motor e os sistemas eletrónicos e mecânicos do motociclo. O regime de deficiências aplicado aos automóveis será o mesmo que se aplicará aos motociclos.

Os veículos devem fazer a inspeção até ao dia e mês correspondentes ao da matrícula inicial. Os proprietários podem ainda optar por realizar a inspeção durante os três meses anteriores à data prevista.

Fonte: autoportal

Nota do autor: desde 2009 que as Inspeções Periódicas Obrigatórias (IPO´s) a motociclos são efectuadas nos Açores. Assim, aconselho leitura deste artigo, bastante completo, a relatar a experiência de uma inspecção. São feitas algumas referências à legislação, que foram actualizadas com o decreto acima mencionado. Ver artigo aqui.

Renault Espanha oferece 2 carros pelo preço de 1

 A Renault Espanha oferece um eléctrico Twizy Urban 45 na compra de um ligeiro de passageiros.

Em Espanha na compra de um veículo de ligeiro, que pode variar entre os 21.300 e os 32. 300 euros, a Renault oferece um Twizy Urban 45 na condição de pelo menos 6 mil euros do ligeiro de passageiros serem obtidos através do produto Renault Box do RCI Banque, a filial financeira da Renault, avança o jornal espanhol “Cinco Días”. O aluguer da bateria do veículo eléctrico, 50 euros por mês também não está incluído na oferta.

A marca francesa recorreu a esta campanha para posicionar o Twizy Urban 45, o mais baixo da sua gama, no mercado espanhol. Este eléctrico caracteriza-se pelas suas reduzidas dimensões: 1,2 metros de largura, 2,3 metros de comprimento e 1,4 metros de altura e por não necessitar de carta de condução para ser utilizado.

A intenção da Renault ao lançar esta promoção de dois pelo preço de um foi dar a conhecer o produto através de uma publicidade inovadora do que obter êxito com a oferta em si, refere o jornal espanhol “Cinco Días”.

O Twizy Urban 45 com 5 cv atinge uma velocidade máxima de 45 km por hora. A diferença de preço face ao modelo superior da gama, Twizy Urban, é de 600 euros. O Urban conta com uma potência de 17 cv e pode alcançar uma velocidade de 80km por hora. Tem a desvantagem em relação ao Twizy Urban 45 é que necessita de carta de condução, categoria B.

O Negócios confirmou que esta campanha não está em vigor em Portugal.

Fonte: jornal de negócios

Condutores obrigados a ter kits para medir álcool no sangue

Todos os condutores que circulem em França são obrigados a ter no carro dois kits para medir álcool no sangue.

A partir de agora, todos os condutores que circulem em França são obrigados a ter nos veículos dois kits para medir o nível de álcool no sangue, sob pena de pagarem uma multa.

A lei, aplicável a franceses e estrangeiros que circulem nas estradas do país (estes últimos terão até novembro para se adaptar às novas regras), pretende incentivar os condutores a fazerem o teste antes de conduzirem, evitando multas por excesso de álcool – 0,5 g/litro é o máximo permitido em França.

O Governo pretende que os números de acidentes e mortos nas estradas diminuam, dado que todos os anos morrem cerca de quatro mil pessoas em acidentes rodoviários, a maioria provocados por excesso de álcool.

Os aparelhos em causa podem ser descartáveis ou reutilizáveis e podem ser comprados nos supermercados ou gasolineiras.

Fonte: autoportal

Volvo V40 com emissões abaixo de 94 g/km e 3,6 l/100 km

A Volvo está a lançar o V40, um carro desenhado a partir da experiência de milhares de condutores. Motor 1.6 com emissões abaixo das 94 g/km e consumo de 3,6 l/100 km inicia a gama diesel.

A marca deposita grande esperança neste compacto, construído à imagem do consumidor. Um dos seus grandes argumentos provirá do preço: 28.152 euros.

Não vai ser apenas o posicionamento deste produto a trazer novidades dentro da marca. A Volvo quer que este seja o carro de escolha e para isso acrescenta equipamento para ligar o condutor a este modelo. Um novo dispositivo de infotainment na coluna central ou três versões de leitura do painel de instrumentos são alguns desses detalhes.

Por outro lado, o chassis foi desenhado para dar uma experiência de condução ágil e de prazer em guiar o carro. A gama de motores tem toda start-stop e regeneração de energia a partir da travagem, venha o carro equipado com caixa automática ou manual.

Nos motores diesel, o 2.0 de cinco cilindros foi otimizado de forma a gastar e poluir menos, sem perder as suas competências. Com 177 cv e um binário de 400 Nm, consegue uma aceleração 0-100 km/h em 8,3 segundos (com caixa manual). O consumo anunciado é de 4,5 l/100 km e as emissões de 119 g/km com caixa manual, subindo para os 5,3 l/100 km e 139 g/100km com automática. A transmissão será sempre de seis velocidades.

Mas a versão D2 deverá ser a mais apetecível para o mercado empresarial. Com emissões de 94 g/km, o consumo de combustível fica-se pelos 3,6 l/100 km. Neste motor de 1.6 litros, a potência é de 115 cavalos e 285 Nm de binário, que já incluem os 15 Nm conseguidos de sobrealimentação.

Esta versão tem também painéis por baixo da carroçaria que contribuem para um baixo consumo de combustível e redução de emissões. Este motor também pode ser equipado com a transmissão automática de seis velocidades.

Como o V40 foi desenhado a partir da opinião de milhares de consumidores, os detalhes do interior não foram esquecidos. Arrumações para CD’s ou copos e um porta-luvas refrigerado onde cabem duas garrafas fazem parte destes reservatórios desenhados à medida. Os bancos traseiros podem ser deitados numa proporção de 40/60, mas de diversas formas para levar objetos mais longos. O V40 pode ser equipado com um chão extra no compartimento de carga para que fique liso quando estes bancos traseiros são arrumados.

Fonte: fleetmagazine

Carclasse com consultor de vendas para táxis

A Carclasse Lisboa lançou o primeiro serviço integrado dirigido a táxis, viaturas de aluguer e turismo, disponibilizando um consultor exclusivamente dedicado à comercialização de automóveis novos para este segmento de mercado.

O “Sr. Táxi”, um cargo ocupado por Marco Pereira, profissional com vasta experiência no ramo automóvel, será assim o responsável por um serviço inovador e que se caracteriza ainda por um apoio pós-venda baseado nos princípios que norteiam a actividade da Carclasse: rapidez, qualidade e prioridade na assistência.

Com este novo serviço, a Carclasse proporciona aos seus clientes um vasto conjunto de serviços exclusivos, integrados nas condições especiais que o Clube Táxi disponibiliza. Marco Pereira salienta que por cada 25 euros de facturação líquida “é oferecida uma estrela Mercedez-Benz, que permite um euro de desconto em serviços posteriores”, frisando, por isso, que as vantagens de aderir ao Clube Táxi “são imensas”.

“Todos os nossos clientes podem aceder a descontos especiais em mão-de-obra, mudanças de óleo, peças, acessórios e revisão integrada na MobiloLife”, diz o Sr. Táxi.

A Carclasse oferece ainda um serviço de pós-venda personalizado, adaptado a cada cliente do sector, através de um atendimento prioritário, com áreas de de assistência dedicadas e mão-de-obra a preços muito competitivos.

E como o tempo é precioso para estes profissionais, a Carclasse decidiu estabelecer um horário alargado de atendimento: nos dias úteis entre as 8 e as 20h00 e ao sábado das 8h30 às 18h00.

Fonte: fleetmagazine

Comunidade Map Share para partilha de mapas Tom Tom

A TomTom disponibiliza, a partir de agora, diariamente e de forma gratuita, actualizações de mapas nos seus 60 milhões de dispositivos de navegação portátil, através da comunidade TomTom Map Share.

O Map Share, até agora disponível num número limitado de equipamentos TomTom, permite aos utlizadores a personalização dos mapas da TomTom no dispositivo, e também a partilha e a recepção de alterações aos mapas, através da comunidade Map Share, à qual pertencem pessoas de todo o mundo.

A tecnologia Map Share permite aos condutores terem os seus mapas TomTom sempre actualizados incluindo mudanças mais recentes na sua zona. Mudanças dinâmicas nas estradas, tais como a alteração dos limites de velocidade, novos nomes de rua, estradas bloqueadas e novas direcções de trânsito podem ser actualizadas directamente no dispositivo.

Os condutores têm a opção de partilhar estas mudanças de estradas com a TomTom e com a comunidade Map Share. Todos os utilizadores TomTom podem agora fazer o download gratuito das mudanças diárias constantes do Map Share.

Fonte: fleetmagazine

Audi, BMW e Volkswagen ganham quota de mercado

A Audi, a BMW e a Volkswagen são as marcas que mais crescimento tiveram na posição que ocupam na tabela das mais vendidas durante os primeiros seis meses do ano.

A Audi, que ocupa o oitavo lugar nas marcas mais vendidas, com 3.277 carros, teve um crescimento de 1,94% em relação à posição que ocupava em 2011. Neste momento, 5,35% dos carros vendidos no país têm o emblema dos quatro anéis.

A BMW ganhou 1,58% de quota de mercado. O construtor de Munique é a sétima marca mais vendida, com 5,5% do total dos carros vendidos.

A Volkswagen ocupa o segundo lugar nas marcas mais vendidas. Com uma quota de 10,31%, ganhou 1,2% ao conjunto das outras marcas.

De Janeiro a Junho, o mercado automóvel caiu 43,9 por cento. Até ao final do mês passado, tinham sido vendidos 61.212 carros.

Fonte: fleetmagazine

O Motofan é o novo portal de informação sobre motos em português

O Motofan é o novo portal de informação sobre as motos em português. Informação, atualidade, comunidade motociclística, fotos, vídeos e mercado de compra e venda de motos. Dêem uma espreitadela!