Euro NCAP testa 16 modelos. E atribui uma classificação de zero estrelas

No que foi o seu mais activo ano de sempre, o Euro NCAP encerra 2017 com a revelação dos resultados dos testes de segurança de nada menos do que dezasseis modelos. Sete obtiveram a classificação máxima de cinco estrelas (um deles apenas quando dotado do pacote de sistemas de assistência à condução), um a classificação de quatro estrelas e os restantes a classificação de três estrelas.

De referir que alguns dos modelos foram novamente avaliados, depois de terem recebido uma actualização de meio de ciclo, e, à excepção do Toyota Yaris, em todos a classificação final foi imferior à do teste original, tão simplesmente porque os critérios de avaliação do consórcio europeu de segurança se tornaram, desde então, mais estritos e exigentes. O caso mais extremo é do Fiat Punto, no mercado desde 2015, e ainda uma proposta muito popular em Itália, o primeiro automóvel na história recente do Euro NCAP a ser contemplado com uma classificação de zero estrelas.

De salientar que o esquema de classificação do Euro NCAP exige que qualquer modelo avaliado registe um número mínimo de pontos em todas as áreas de avaliação para poder receber, pelo menos, uma estrela. E se bem que o utilitário transalpino ainda registe um desempenho aceitável em termos da proteção dos adultos, das crianças e dos peões para receber, no mínimo, duas estrelas, o não contar com qualquer dispositivo de assistência ao condutor explica a sua pobre classificação final.

Quanto a resultados, e começando, alfabeticamente, pelos melhores, merecedores das cinco estrelas finais, o BMW Série GT recebeu 86% na protecção dos adultos, 85% na protecção das crianças, 81% na proteção dos peões e 59% nos dispositivos de assistência à condução. O Hyundai Kauai foi contemplado com 87% na protecção dos adultos, 85% na protecção das crianças, 80% na proteção dos peões e 72% nos dispositivos de assistência à condução. O Hyundai Kauai. O Jaguar F-Pace recebeu 93% na protecção dos adultos, 85% na protecção das crianças, 80% na proteção dos peões e 72% nos dispositivos de assistência à condução. O Kia Stinger 86% mereceu 93% na protecção dos adultos, 81% na protecção das crianças, 78% na proteção dos peões e 82% nos dispositivos de assistência à condução. E o Toyota Yaris recebeu 83% na protecção dos adultos, 80% na protecção das crianças, 63% na proteção dos peões e 57% nos dispositivos de assistência à condução.

Também avaliado com cinco estrela foi o Kia Stonic, mas apenas quando equipado com o chamado Advance Diving Assistance Pack, que lhe permitiu alcançar 93% na protecção dos adultos, 84% na protecção das crianças, 71% na proteção dos peões e 59% nos dispositivos de assistência à condução. Na sua versão standard, o SUV sul-coreano recebeu três estrelas, por via da atribuição de 85% na protecção dos adultos, 84% na protecção das crianças, 62% na proteção dos peões e 25% nos dispositivos de assistência à condução.

Já o Toyota Aygo foi o único modelo testado a receber quatro estrelas, merecendo 82% na protecção dos adultos, 63% na protecção das crianças, 64% na proteção dos peões e 57% nos dispositivos de assistência à condução.

Entre os modelos contemplados com três estrelas, o Alfa Romeo Giulietta recebeu 72% na protecção dos adultos, 56% na protecção das crianças, 59% na proteção dos peões e 25% nos dispositivos de assistência à condução. O Dacia Duster recebeu 71% na protecção dos adultos, 66% na protecção das crianças, 56% na proteção dos peões e 37% nos dispositivos de assistência à condução. O DS 3 foi merecedor de 69% na protecção dos adultos, 37% na protecção das crianças, 55% na proteção dos peões e 29% nos dispositivos de assistência à condução. Os Ford C-Max e grand C-Max receberam ambos 76% na protecção dos adultos, 60% na protecção das crianças, 59% na proteção dos peões e 29% nos dispositivos de assistência à condução. O SUV chinês MG ZS recebeu 71% na protecção dos adultos, 51% na protecção das crianças, 59% na proteção dos peões e 29% nos dispositivos de assistência à condução. O Opel Karl recebeu 61% na protecção dos adultos, 60% na protecção das crianças, 58% na proteção dos peões e 25% nos dispositivos de assistência à condução. E o Toyota Aygo recebeu 74% na protecção dos adultos, 63% na protecção das crianças, 64% na proteção dos peões e 25% nos dispositivos de assistência à condução.

Por fim, o Fiat Punto registou 51% na protecção dos adultos, 43% na protecção das crianças, 52% na proteção dos peões e 0% nos dispositivos de assistência à condução.

Retirado de absolute-motors

Anúncios

Filtro de partículas de travões: a nova invenção automóvel

A MANN+HUMMEL anunciou a criação de um filtro de partículas de travões para diminuir a emissão de pó. Saiba mais sobre o funcionamento deste mecanismo.

A MANN+HUMMEL está a testar esta nova criação

Esta invenção será colocada na pinça de travão e serve, não só para diminuir o número de emissões de pós nocivos para a saúde e ambiente, como também para prevenir a acumulação de sujidade nas jantes.

Filtro de partículas de travões

Porquê esta invenção?

Quando se aciona o travão de um carro, a fricção dos discos com as pastilhas acaba por originar pós. 90% desses são essencialmente partículas extra-finas, que se tornam prejudiciais à saúde humana e ao meio ambiente. Se analisarmos bem e medirmos o número de travagens que efetuamos durante um qualquer trajeto, principalmente em percursos citadinos, mas não só, conseguimos ter uma melhor noção do impacto negativo deste fenómeno.

Nesse sentido, a Mann+Hummel decidiu testar introduzir um filtro de partículas de travões em automóveis. Segundo a empresa alemã, após alguns testes, houve uma redução considerável da poluição.

Serve para qualquer carro?

Antes de mais, é importante realçar que as dimensões do filtro de partículas de travões podem ser adaptadas ao espaço existente na zona dos discos de travão. Em relação ao seu uso, para além de poder ser utilizado em modelos com motores de combustão, também serve para os automóveis híbridos e elétricos, podendo, inclusive, ser introduzido em veículos pesados e, até, comboios.

Além disso, é importante salientar que o filtro de partículas de travão, segundo anunciado, é feito de de materiais resistentes à corrosão e a altas temperaturas. Conta ainda com uma carcaça robusta, que se adapta à pinça, garantido a remoção dos pós finos junto do local onde estes se criam, aumentando, assim, a sua eficácia.

jantes

Vantagens estéticas

Para além dos componentes ao nível ambiental e de saúde, esta invenção acarreta ainda um benefício estético, uma vez que impede que a sujidade se acumule nas jantes. Pode ser produzido em diversas cores, o que transmite um elemento mais colorido ao seu veículo e que, futuramente, poderá ser alvo de criatividade por parte de alguns designers.

Retirado de e-konomista