Para que serve o volante bimassa?

Na Autopédia da Razão Automóvel tentamos desmistificar os conceitos mais técnicos do mundo automóvel. Hoje o assunto é: volantes bimassa.

Sabias que atualmente o motor de um em cada dois automóveis está equipado com volante bimassa? Apesar de regra geral, já todos terem ouvido falar dos volantes bimassa (nem que seja pelos piores motivos…), a verdade é que nem todos sabem quais são as suas vantagens face aos volantes convencionais.

Mas antes aprofundarmos as questões relativas aos volantes bimassa, convém responder à seguinte questão: para que serve afinal o volante do motor? Seja ele bimassa ou convencional.

O volante do motor – seja de que tipo for – serve para manter o equilíbrio das massas do motor nos intervalos das explosões dos cilindros. Graças ao peso deste componente, nos momentos «mortos» das ordens de explosão, o motor continua a girar sem vibrações ou hesitações. Outra das funções do volante é transmitir a força gerada pelo motor à transmissão, já que na sua superfície de contacto do volante temos o sistema de embraiagem que transmite o trabalho produzido pelo motor à transmissão.

Sendo assim, como podes constatar, os volantes bimassa têm exactamente a mesma função dos volantes convencionais. A diferença entre ambos está no seu desempenho. Nos volantes bimassa, graças à presença de duas massas suspensas, o volante consegue anular de forma mais eficiente a transmissão das vibrações do motor à transmissão. Efeito prático: o funcionamento do automóvel é mais suave.

Ainda com dúvidas? Este vídeo vai ajudar-te:

Aprofundando um pouco mais o assunto, sabias que nos carros de competição o volante do motor é mais leve que nos carros de produção? O motivo é simples: quanto menor for a massa móvel do motor, mais rápida é a subida de rotação.

Já nos carros de produção, como dissemos, o volante do motor é mais pesado. O regime normal de rotação de um carro no dia-a-dia, situa-se entre as 1.000 e as 3.000 rpm, e a presença do volante do motor mais pesado ajuda a equilibrar os movimentos do motor, principalmente nos regimes mais baixos.

Há quem decida trocar o volante do motor de origem por um volante mais leve. Se o objetivo é prepares o teu carro para track-days, é uma boa opção, caso contrário desaconselhamos essa modificação. O motor do teu carro vai perder binário e disponibilidade a baixa rotações e vais acelerar o desgaste dos componentes internos do motor.

Retirado de razaoautomovel

 

 

Anúncios

Publicado por

Marcelo Oliveira

Profissional com experiência consolidada na Gestão de Frotas em empresas de serviços de transporte ou com parque automóvel de volume. Mais detalhes em https://marceloxoliveira.com/quem-e-marcelo-oliveira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s