Os 10 carros mais vendidos em Portugal em 2016

sem-nome

A Renault lídera com o Clio a lista dos 10 carros mais vendidos em Portugal, no ano passado. Os números divulgados pela ACAP em 2016, entre janeiro e novembro, mostram que apesar da moda dos SUV marcar o ritmo das opções dos portugueses foi o pequeno utilitário Clio que continuou no top de vendas.

1. Renault Clio

 No período referido, o Renault Clio tinha vendido já 10354 unidades, mostrando um aumento relativamente ao ano passado. Este citadino que deu à Renault grande parte do mercado nacional no ano passado, representa 5,44% do mercado. A escolha dos portugueses poderá dever-se ao consumo, em média, de apenas 5,2 litros por cada 100 km (na última geração). A nível nacional, o modelo mais vendido foi o Renault Clio 0.9L Limited TCe 5P de 90 cv.

2. Peugeot 208

O Peugeot 208 ficou em 2º lugar em 2016, com 6335 unidades vendidas registadas no período de janeiro a novembro. Uma escolha económica dos portugueses, pois este é um modelo acessível de boa qualidade.

3. Renault Mégane

O Renault Mégane subiu de 8º lugar em 2015, para o 3º em 2016, tendo sido vendidas 5817 unidades no período referido. Esta é uma das maiores surpresas entre os carros mais vendidos em Portugal face ao ano passado.

4. Volkswagen Golf

Com 5363 unidades vendidas, o Volkswagen Golf ficou aquém do pódio entre os carros mais vendidos em Portugal no ano passado. O Golf foi o carro mais vendido na Europa, mas não conquistou a preferência dos portugueses do mesmo modo que conquistou o resto da Europa.

5. Renault Captur

O Renault Captur reflete como a marca francesa foi popular no ano passado em Portugal. Foram vendidos 5242 Captur de janeiro a novembro do ano passado, o que deixa o modelo perto do mais popular da Europa.

6. Volkswagen Polo

O segundo modelo da Volkswagen na lista é o Polo. Foram vendidas 5168 unidades deste modelo, que é bastante parecido ao Golf, com a diferença de ser mais barato.

7. Seat Ibiza

O Ibiza foi o único representante da Seat no top 10 dos mais vendidos, com 4604 unidades vendidas registadas. É o único representante, mas já o tem sido nos últimos anos.

8. Peugeot 308

Do Peugeot 308 foram vendidas 4582 unidades o que foi o suficiente para o ajudar a manter-se no top 10, ainda que por uma margem relativamente pequena face aos outros modelos.

9. Mercedes-Benz Classe A

O Mercedes-Benz Classe A foi o único modelo da marca alemã a chegar ao top 10 dos carros mais vendidos em Portugal, tendo vendido 4544 unidades. Curiosamente, o seu modelo 180 CDi 4P 109CV representou 3087 dessas vendas ficando em segundo lugar a nível nacional, atrás do modelo do Clio.

10. Nissan Qashqai

Em último lugar, mas ainda no top de vendas nacional, a Nissan conseguiu aguentar o Qashqai na lista com 4530 unidades vendidas entre janeiro e novembro. Atrás dele, vinha o Opel Corsa com 4346 unidades, seguido do Astra com 4025.

Retirado de autoclube acp

Anúncios

Quanto tempo aguenta um carro sem óleo no motor?

Respeitar os intervalos de manutenção e mudança de óleo é um dos comportamentos mais importantes para preservares a saúde do motor do teu carro.

Como sabemos, o atrito gerado entre as várias peças do motor provoca ruído, calor e principalmente desgaste nas peças. Como tal, a lubrificação dos componentes mecânicos é algo imprescindível ao funcionamento de qualquer motor de combustão.

Mas, o que é que acontece se retirarmos todo o óleo do motor e conduzirmos o carro como se nada fosse? Para responder a esta pergunta, os nossos colegas da Car Throttle sacrificaram um Mercedes-Benz Classe C 180 de 1994, com mais de 300 mil km nas pernas, tudo por uma boa causa. Alex e companhia levaram o carro para um circuito fechado, removeram completamente o óleo do motor e puseram-no à prova, como podes ver no vídeo em baixo:

Depois de algumas voltas à pista, o inevitável aconteceu. Uma pequena explosão e algumas das peças deste motor de 1.8 litros a gasolina acabaram por ficar na pista, isto ao fim de pouco mais de 17 minutos. Se dúvidas houvesse (que não havia…), agora já sabemos o que acontece.

Retirado de razaoautomovel

 

 

Alemães e asiáticos juntos pelo hidrogénio

58f10431ef9b68eabe5f88b95dbafa1a_xl

Toyota, BMW, Daimler, Honda e Hyundai aliaram-se à Shell e à Total para aplicar 10 mil milhões de euros nos próximos cinco anos nesta tecnologia.

O grupo acabado de formar, Hydrogen Council, é constituído por 13 empresas. Toyota, BMW, Daimler, Honda e Hyundai juntaram-se, entre outras empresas, às petrolíferas Shell e Total num investimento global de 10 mil milhões de euros em produtos relacionados com o hidrogénio nos próximos cinco anos. Todos os construtores de automóveis mencionados têm ou pretendem desenvolver modelos movidos a pilha de combustível, e uniram-se para provar que esta tecnologia não é apenas uma mera alternativa aos modelos a combustão tradicionais, mas uma fonte de energia mais limpa. A título de exemplo, a Toyota afirma que, juntamente com os restantes intervenientes neste grupo, poderá reduzir em 90% as emissões de dióxido de carbono até 2050. Para concretizar este intento, o construtor nipónico pretende lançar um conjunto de plataformas de grandes dimensões de extração e aumentar as infraestruturas de abastecimento de hidrogénio.

O investimento atual com produtos relacionados com o hidrogénio de 1,4 mil milhões de euros/ano.

Retirado de autohoje

Mazda está a trabalhar num novo motor que dispensa velas de ignição

Começam a surgir as primeiras novidades da nova geração de motores Skyactiv.

Tal como já tinha dado a entender o CEO da Mazda Masamichi Kogai, uma das grandes prioridades para a marca nipónica é o cumprimento das regulamentações de emissões e a eficiência nos consumos.

Como tal, uma das novidades da próxima geração (2ª) de motores Skyactiv é a implementação da tecnologia de ignição por compressão de carga homogénea (HCCI) nos motores a gasolina, substituindo as tradicionais velas de ignição. Este processo, semelhante ao dos motores Diesel, é baseado na compressão de uma mistura de gasolina e de ar no cilindro, o que segundo a marca vai tornar o motor até 30% mais eficiente.

Esta tecnologia já tinha sido testada por várias marcas da General Motors e Daimler, mas sem sucesso. A confirmar-se, os novos motores deverão estrear-se algures em 2018 na próxima geração do Mazda3 e serão implementados gradualmente na restante gama Mazda. Quanto às motorizações elétricas, é quase certo que iremos ter novidades até 2019.

Retirado de razaoautomovel