Gasolina é melhor que gasóleo

Gostar de automóveis é uma paixão madrasta – não só porque poucos podem comprar os carros que admiram, mas também porque sempre que dizemos que gostamos de automóveis, conseguimos sentir as pessoas a afastarem-se como se tivesse-mos gripe A. Se sairmos à noite com uma bela moça e no meio da conversa deixar-mos escapar que gostamos de carros, o telemóvel dela vai tocar repentinamente e ela terá de sair porque uma amiga esta a ter um ataque de caspa ou algo parecido.

A razão desta reacção alérgica tem a haver com os debates e discussões que ocorrem no mundo dos fãs do automóvel: Ferrari versus Porsche, tracção integral versus dianteira versus traseira, gasolina melhor que gasoleo, entre muitas outras. E é nesta ultima que quero dar o meu bitaite. E gostaria que cada um desse o seu nos comentários.

Vou portanto fazer algo de diferente ao que vos acostumei – uma espécie de debate espero. E como já tive hipotese de ouvir muitos dos argumentos esgrimidos por ambos os campo, permitam-me dar as primeiras estocadas.

Com a actual caça às emissões, muitos dizem os motores diesel são menos poluentes porque produzem menos CO2. E é verdade que produzem menos CO2, mas produzem muitas mais particulas solidas causadoras de asma, oxido de azoto e dioxido de enxofre.

Recorrendo à Química Orgânica (enfim um uso prático para estas aulas), o gasóleo é um produto menos refinado, mais “bruto” que a gasolina. O petróleo entra no que se chama uma coluna de craking catalítico – imaginem uma coluna vertical em que a meio entra o petróleo e no topo saem os combustíveis mais finos como o combustível de avião a jacto e gasolina, e no fundo saem o alcatrão, óleos e o gasóleo.

Digamos que o gasóleo é “marca branca” e a gasolina é “gourmet”.

O gasóleo é um combustível de queima lenta precisando de elevadas taxas de compressão, ou seja, não dá para brincar com as rotações porque o motor não consegue rodar tanto. Num motor diesel recebemos a potencia toda num curto intervalo de rotações e temos que mudar de velocidade – há uns anos conduzi um Opel Astra carrinha com o 1.3 CDTI e de tanto ter que relançar o carro em cidade com as 6 velocidade a minha filha vomitou nas costas do meu banco!

Mas isso torna-se numa vantagem do gasóleo nas autoestradas: o motor roda menos logo mais conforto sonoro e melhores consumos. Ai até posso concordar, excepto que as autoestradas são aborrecidas, deprimentes até para quem gosta de conduzir. Tomei recentemente a decisão de me organizar para que possa usar as estradas nacionais e menos a auto-estrada. Sem grandes elevações ou curvas, qualquer carro moderno lida bem com a auto-estrada.

O gasóleo é mais económico e mais barato. Verdade, se conduzir for um mal necessário – ainda há poucas semanas gastei cerca de 85 euros em gasolina super 98 numa tarde – como? conduzir um Renault Clio RS de Alcanede as Caldas da Rainha (ida e volta) pela antiga estrada nacional como tivesse as calças a arder! Dinheiro bem gasto. 85 euros de diesel são tão excitantes como comprar 85 euros de creme para hemorroidas…


Outro mito muito popular é que os motores diesel são mais fiáveis que os motores a gasolina. A tecnologia evoluiu muito nos últimos anos e ambos os tipos de motor são fiáveis. Mas uma coisa é verdade – quando corre mal debaixo do capot, reparar um motor diesel moderno é muito caro relativamente a um motor a gasolina. O elevado conteúdo tecnológico assim o obriga – para terem uma ideia, uma rampa comum para um motor diesel é algo que pode custar 2.000 euros!

E ainda no campo da fiabilidade, quando um carro de gasolina pára por falta de combustível é só atestar e arrancar. Um carro a diesel tem que ser sangrado para pegar. Alguém quer fazer isso na berma da estrada?

Os motores a diesel têm melhor performance que os carros a gasolina: verdade graças à tecnologia que incluem – turbos, injecções rampa comum, intercoolers, entre outros. Mas os motores diesel produzem muitas vibrações, ao nível dos pedais e caixa de velocidades e o som produzido é tudo menos agradável. Os motores diesel são também muito mais pesados algo que se reflete no comportamento em curva.
Numa estrada de montanha o motor mais suave a gasolina roda mais, com a potencia distribuída pelas rotações dá o verdadeiro prazer de condução – aquele que o carro transmite pelos fundilhos das nossas calças.

Concedo que a minha preferência pela gasolina é mais “espiritual” que outra coisa – o diesel é mais forte, mas a gasolina é mais elegante. E citando o Sr_meireles, o diesel é uma bodybuilder:

E a gasolina é uma bailarina. O que é que preferem?

Mas a mais importante de todas é o prazer. Já conduzi muitos carros, a gasóleo e a gasolina, e se há algo que posso dizer é que fiz boas viagens ao volante de carros a diesel, mas nenhum me deu o prazer que dá um carro a gasolina. E o prazer da condução é o mais importante em qualquer carro.

Não podia terminar sem agradecer ao Richard e ao Sr_meireles que com algumas discussões no Twitter, ajudaram neste artigo.

Retirado de 4rodas1volante

 

Anúncios

Publicado por

Marcelo Oliveira

Profissional com experiência consolidada na Gestão de Frotas em empresas de serviços de transporte ou com parque automóvel de volume. Mais detalhes em https://marceloxoliveira.com/quem-e-marcelo-oliveira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s