Primeiro motor Diesel surgiu há 120 anos

thumbs_sapo_ptCA66C6TYMorreu há quase 100 anos e por isso não viveu para ver como a sua invenção se massificou por intermédio do automóvel. Rudolf Diesel, o homem que rompeu barreiras ao criar um motor em que a combustão do combustível se faz pelo aumento da temperatura provocado pela compressão de ar ficaria certamente impressionado ao ver como, depois da indústria mecânica e naval, o seu engenho passou a estar presente em milhares de carros espalhados pelo mundo.

A primeira tentativa deu-se em 1929, quando Clessie Cummins instalou um motor Diesel numa limusina Packard, no que se tornou no primeiro carro norte-americano com um motor deste tipo. A 25 de Dezembro do mesmo ano, W.G. Irwin levou-o para um passeio e o interesse gerado à sua roda atraiu a atenção dos populares, tornando a Cummins num dos fornecedores de motores mais importantes da indústria dos camiões.

Na Europa, Andre Citroën foi o pioneiro dos automóveis Diesel. Entre 1933 e 1936, desenvolve com sucesso uma versão deste tipo para o Citroën “Rosalie”, mas em formato carrinha. Foi introduzida oficialmente no Salão de Paris de 1936, mas a crise financeira sofrida pela empresa, adquirida depois pela família Michelin, impediu a sua produção em série. Felizmente, o mesmo não aconteceu à Mercedes, que se tornou assim no primeiro fabricante do mundo a produzir em série automóveis com motores Diesel.

Tudo começou em 1933, quando a marca de Estugarda começou a testar um seis cilindros de 6.3 litros num Mercedes Manheim. As provas de esforço indicaram que a vibração contínua era demasiado excessiva para o chassis do modelo e por isso iniciaram o desenvolvimento de uma nova unidade de quatro cilindros, agora de 2.6 litros. Em 1936, finalizado o período experimental, a Mercedes montou-o num modelo 200 com uma bomba de injeção da Bosch e apresentou-o oficialmente no Salão Internacional do Automóvel e do Motociclo de Berlim. Chamava-se 260 D e surpreendeu desde logo pelo seu reduzido consumo de combustível (em vez dos 13 litros por cada 100 km do seu homónimo a gasolina, consumia apenas 9/100 km) – um feito extraordinário para a época, para mais numa altura em que o preço do Diesel era cerca de metade inferior ao preço da gasolina.

Mais de setenta anos depois, o Diesel massificou-se e é hoje utilizado em milhares de carros espalhados por todo o mundo. Mas apesar das suas vantagens ainda há quem lhe resista. Os EUA, por exemplo, onde os motores a gasolina ainda imperam em relação ao Diesel. Só que isso não significa que não haja marcas com razões para festejar, como a Volkswagen. Afinal, 75% dos modelos vendidos com esta solução são do construtor alemão, que por isso decidiu celebrar esta efeméride com um cartaz de feliz aniversário. Nós aproveitamos a iniciativa e deixamos aqui também o nosso agradecimento. Parabéns, Sr. Rudolf. A sua invenção faz parte da lista das melhores coisas que aconteceram ao automóvel!

Retirado de turbo sapo

Publicado por

Marcelo Oliveira

Profissional com experiência consolidada na Gestão de Frotas em empresas de serviços de transporte ou com parque automóvel de volume. Mais detalhes em https://marceloxoliveira.com/quem-e-marcelo-oliveira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.