Automóveis Portugueses: SADO (1982)

229887_10151201465106188_1659552896_n

 

 

 

 

 

 

 

 

No final da década de 70, numa época de forte contenção económica o Entreposto lançou a proposta “made in Portugal” para a produção de um automóvel citadino: o Sado. Esta ideia surgiu para inverter a tendência das crescentes dificuldades que o sector automóvel atravessava, em consequência dos aumentos dos custos e da redução das vendas.

O Entreposto assumiu um papel criador e empreendedor ao lançar o “Projecto Ximba”, que viria a ter duas fases bem distintas. Uma primeira fase, entre 1975 e 1978, e que se pode considerar como a fase de definição básica do produto a fabricar. A segunda fase, entre 1979 e 1982 e que consistiu em detalhar, fabricar, testar e desenvolver, todos os aspectos do veículo, de modo a garantir a sua produção em termos economicamente viáveis e uma utilização simples, fiável e económica. Poderemos chamar-lhe desenvolvimento do produto.

Este veículo seria uma economia de divisas para o país, procurando utilizar o máximo de incorporação nacional que era tecnicamente possível no momento, e uma economia para o comprador, uma vez que o seu custo inicial era inferior aos veículos automóveis existentes no mercado. O seu objectivo era ser funcional e ter baixos custos de produção e manutenção aliado à fiabilidade bem como um consumo reduzido.

Utilizou quase 70% de incorporação nacional, incluindo a mão-de-obra, numa altura em que a legislação para os veículos montados em Portugal e destinados ao mercado interno impunha uma percentagem mínima de incorporação nacional de 22%.

Industrialmente a ideia iria vingar no início da década de 80. Pela sua limitada produção, é um veículo quase desconhecido da maioria das pessoas que na maioria dos casos o comparam depreciativamente aos “sem carta” e consequentemente subestimam-no.

Posto à venda em 1982 por cerca de 262.125 escudos (cerca de €1.307, não tendo em conta o coeficiente de desvalorização monetário), o carro não chegava para as encomendas… as solicitações eram muitas o que fez com que as primeiras 50 viaturas feitas e postas à venda pelo Entreposto se esgotassem rapidamente, surgindo as inevitáveis listas de espera.

Em síntese, teremos de considerar que o Sado é produto de um desafio contínuo superado pelo Engenho e Arte de uma forma que nos podemos orgulhar. Um passo indelével na História da Indústria Automóvel em Portugal.

Características Técnicas:
28 CV
2 Cil.
547 CC
4 Vel.
480 Kg
110 Km/H

Texto de Teófilo Santos (Museu do Caramulo)

Anúncios

Publicado por

Marcelo Oliveira

Profissional com experiência consolidada na Gestão de Frotas em empresas de serviços de transporte ou com parque automóvel de volume. Mais detalhes em https://marceloxoliveira.com/quem-e-marcelo-oliveira

Um pensamento em “Automóveis Portugueses: SADO (1982)”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.