Automóvel: Governo prevê reduzir em 30% custos com ALD

Executivo pretende continuar a redução efectiva da dimensão da frota do Estado, actualmente em cerca de 27.000 veículos. Gama das novas viaturas a adquirir será revista, estimando-se uma redução nos custos.

O Governo pretende “rever as tipologias dos veículos a adquirir e respectivos valores de aquisição, valores de renda ou aluguer mensal”, lê-se na proposta de Orçamento do Estado para 2013, entregue hoje no Parlamento.

“Para os novos veículos a contratar em aluguer operacional ou através de aquisição, aplicar-se-á a redução de nível, prevendo-se uma diminuição da respectiva despesa, na ordem dos 30% por contrato de aluguer operacional”, diz o Governo.

Esta é uma das linhas de actuação que será adoptada durante o próximo ano, da qual faz parte outra que prevê “um controlo apertado na aquisição de veículos, com a regra de abate de no mínimo dois veículos por cada novo veículo adquirido”.

“Em 2013, o Governo pretende continuar a redução efectiva da dimensão da frota do Estado, actualmente em cerca de 27.000 veículos, incluindo veículos das forças de segurança, PSP, GNR e de emergência médica. Entre Dezembro de 2011 e Agosto de 2012 verificou-se uma redução de 607 veículos (menos 2,25%)”, refere o documento.

Fonte: jornal de negocios

Anúncios

Renting de usados

Neste artigo, vamos apresentar uma solução que dá resposta a um desafio específico com que muitas empresas se debatem, particularmente, na actual conjuntura económica.

Como conciliar custos reduzidos/redução de custos com a flexibilidade de prazos curtos?

Bom, na verdade, dar resposta a esta questão seria quase como encontrar o Santo Graal da gestão de frotas, feito que a modéstia não nos permite reclamar.

Acontece, porém, que, enquanto consultores especialistas em gestão de frotas, é nossa função primordial auscultar as necessidades dos Clientes e encontrar uma forma de as satisfazer, sejam essas necessidades de ordem conjuntural ou estrutural sabendo que, na maioria dos casos, coexistem.

Colocámos mãos à obra e constatámos um facto que acaba por ser do senso comum, talvez até primário, entre os gestores de empresas. A grande generalidade das empresas está obrigada a reduzir custos e limitada a compromissos de curto prazo o que, do ponto de vista negocial, parece uma dicotomia. O artigo que redigimos mostra que não tem de ser necessariamente assim. Para tal, vamos transportar as evidências e comportamentos macro-económicos para o universo da gestão de frotas.

Na esmagadora maioria dos casos, o custo da mobilidade (aluguer) é menor quanto maior o prazo do compromisso (contrato), ou seja, um aluguer a 48 meses é menos oneroso que, por exemplo, um contrato a 1 mês tal como está representado no gráfico seguinte:

Analisando mais em detalhe este fenómeno, através da comparação da distribuição de custos, verifica-se que o que motiva os diferentes comportamentos entre prazos é o aluguer, resultado da maior desvalorização que os veículos sofrem no primeiro ano de vida.

Assim sendo, a solução está à vista! Anular a diferença no aluguer! Mas como?! Ora, se o problema é a maior desvalorização de um veículo nos primeiros anos de vida, a solução passará por envolver um veículo cujo maior período de desvalorização já tenha sido ultrapassado, ou seja, um veículo usado.

Como? Através do renting de um veículo usado? Pode ser uma solução uma vez que, nestes casos, os veículos já ultrapassaram o maior período de desvalorização. Todavia, apesar de eliminarmos o efeito desvalorização, existem custos cujo comportamento de um veículo usado difere face a um veículo novo como se pode verificar no gráfico anexo, particularmente a manutenção apesar de esta ser, em parte, compensada por uma redução do seguro (capital a segurar inferior) e do I.U.C., apesar de, neste último caso, a redução ser marginal.

Nesta altura o leitor questiona-se, sendo assim compensa recorrer ao renting de um veículo usado? A resposta depende da circunstância em que se encontra.

Se já tem um contrato de renting activo que se encontra em fim de vida e em que existe a possibilidade de alargar o prazo desse mesmo contrato, caso a nova renda resultante reduza ou se mantenha inalterada, a opção pela extensão será a melhor na medida em que não terá custos logísticos acrescidos.

Se está “obrigado” a substituir um veículo ou adquirir um novo veículo, pondere seriamente a opção de renting de um veículo usado até porque esta é uma forma de as gestoras de frota escoarem parte do seu stock de veículos em fim de contrato fazendo com que também tenham interesse em aderir a uma solução neste formato, logo, estejam mais abertas a praticar preços competitivos.

Dos estudos que efectuámos, representamos graficamente, em anexo, as poupanças médias por via da contratação de renting de um veículo usado comparativamente a:

Verifica-se que, quanto menor o prazo contratual, maior será a vantagem de recorrer ao renting de um veículo usado.

Assim, se está “obrigado” a recorrer a um contrato de curta duração, o renting de um veículo usado apresenta-se como uma solução extremamente aliciante mas se, por outro lado, não tem qualquer restrição de prazo, então a vantagem de recorrer ao renting de um veículo usado comparativamente ao renting de um veículo novo a 48 meses dilui-se, fazendo com que não seja tão aliciante recorrer ao renting de um veículo usado.

Em resumo, podem-se apresentar as seguintes vantagens no renting de um veículo usado:

• Maior flexibilidade por via do menor período contratual

• Custo reduzido

• Veículo disponível para entrega “imediata”

• Menor tributação (autónoma e I.V.A.) devido ao menor custo do veículo

• Prémio e franquia de seguro menores devido ao menor valor venal do veículo

• Eventuais menores custos com recondicionamentos no caso dos operadores que desvalorizam os danos em função da idade do veículo

• Mobilidade idêntica à de um veículo novo na medida em que os serviços disponíveis são exactamente os mesmos comparativamente ao aluguer de um veículo novo

• Boa oportunidade de negócio para ambas as partes (locador e locatário)

Como desvantagens temos:

• Maior probabilidade de imobilização do veículo devido à sua maior idade e quilometragem

• Possível insatisfação dos colaboradores uma vez que preferem um veículo novo a um usado

• Todavia, o renting de um usado até pode ser uma vantagem na medida em que é uma solução que permite reduzir custos evitando ter de se reduzir frota ou pode permitir, por exemplo, aceder a um veículo melhor pelo mesmo custo mensal de um novo

Caso considere esta solução interessante assegure, contudo, que os veículos usados que lhe são propostos para aluguer reúnem condições mínimas, nomeadamente, quilometragens até um máximo próximo de 100.000 kms e conservação da carroçaria em estado aceitável para não incorrer no risco de alugar um veículo cuja probabilidade de imobilização seja muito elevada e cuja imagem exterior não seja condizente com os padrões da sua organização.

Espero que, com esta análise, o tenha ajudado a tornar a gestão da sua frota ainda mais eficiente e fácil.

Por: Ricardo Silva, Consultancy Manager na LeasePlan Portugal

Artigo publicado na Fleetmagazine

Harley-Davidson expõe moto levada por tsunami

Uma mota que foi levada pelo tsunami no Japão e que deu à costa no Canadá está agora em exposição no museu da marca

O Museu da Harley-Davidson tem exposta a mota de Ikuo Yokoyama que esteve à deriva durante mais de um ano no Oceano Pacífico, depois do tsunami que devastou zonas do Norte do Japão no ano passado.

A Harley-Davidson FXSTB Softail Night Train de 2004 encontrada da costa da British Columbia por Peter Mark encontra-se exposta a pedido de Yokoyama, que pediu que a mota fosse preservada no estado em que agora se encontra e exposta no museu Harley-Davidson como memorial às vítimas que perderam ou viram as suas vidas mudadas para sempre devido ao tsunami de 2011 no Japão.

Bill Davidson, vice-presidente do Museu Harley-Davidson afirmou: “Esta mota tem uma história incrível para contar e nós estamos honrados por poder partilhá-la”. A história incrível de sobrevivência e recuperação da mota teve grande impacto a nível internacional, depois de Mark a ter encontrado numa remota praia na British Columbia, durante a maré vazia. Peter Mark descobriu a mota ainda com a matrícula japonesa num contentor onde Yokoyama mantinha a mota.

Através de contactos com agências internacionais e com representantes da Harley-Davidson no Japão, foi possível chegar a Yokoyama, que perdeu a sua casa e vive actualmente num abrigo temporário em Miyagi, no Japão. Ainda a lutar para refazer a sua vida depois do desastre, Yokoyama declinou a oferta da Harley-Davidson de lhe devolver a mota, apesar de ter ficado grato pela oferta e pelo carinho que recebeu de “harlistas” de todo o mundo.

O Museu da Harley-Davidson está localizado na 400 West Canal Street em Milwaukee e oferece um vislumbre da história e da cultura com nunca antes foram vistas, através dos olhos da Harley-Davidson Motor Company. O espaço é um destino muito famoso em Milwaukee e encontra-se aberto durante todo o ano, recebendo anualmente dezenas de milhares de visitantes.

Fonte: lusomotores

Coperol Angola na Feira Projekta

Durante os próximos dias 25 a 28 de Outubro, a Coperol Angola estará presente na Feira Internacional de Angola, em Luanda – Projekta by Constroi Angola / Tectónica 2012, estando exposta no stand n.º 24, integrado no pavilhão de Portugal.

A Projekta by Constrói Angola é atualmente a maior feira do sector da Construção, Obras Públicas, Arquitetura e Urbanismo realizada em Angola. Uma plataforma para a criação de novos negócios entre os mais conceituados profissionais e empresários a nível nacional e internacional.

Como resultado da sua política de crescimento e expansão, desde 2005 que a Coperol tem presença neste país africano, com uma empresa de direito angolano.

Inspirando-se nos fortes laços que unem os dois países, a Coperol Angola assenta numa política de integração e proximidade em que conta com uma equipa composta por profissionais de ambos os países com larga experiência nesta atividade.

Conta já com uma delegação em Morro Bento e já em 2013, assistiremos à abertura do novo centro operacional (Sede, Loja e Armazém), em Viana, Luanda.

A Coperol Angola pretende assim afirmar-se no mercado angolano com os mesmos fatores que determinaram o seu sucesso em Portugal – Seriedade, Rigor e Profissionalismo.

Fonte: jornaldasoficinas

CM Oeiras gera poupanças com Pool de viaturas

Desde o início de 2011, a Câmara Municipal de Oeiras utiliza o XRP |Pool, uma aplicação informática da Escrita Digital para a gestão de viaturas em utilização partilhada. Na edição de abril/maio do seu boletim municipal, o Oeiras Atual, referem-se as mais-valias conseguidas com aquele software na gestão da frota automóvel ao serviço do município: evidentes reduções de custos e inquestionáveis ganhos ambientais.

De acordo com uma notícia publicada no número 215 do Oeiras Atual, o boletim informativo da Câmara Municipal de Oeiras, o novo modelo de gestão da frota automóvel adotado pelo município revelou-se um verdadeiro caso de sucesso. Em menos de um ano e meio, as mais-valias conseguidas com o “CarPooling”, como foi denominado o novo modelo de gestão de frotas suportado pelo XRP |Pool, concebido e desenvolvido pela Escrita Digital, observaram-se tanto numa real diminuição dos custos do município com a sua frota automóvel, como em valiosos ganhos ambientais.

Com o seu novo modelo de gestão de utilização partilhada de viaturas “CarPooling”, aquele município da Área Metropolitana de Lisboa conseguiu “reduzir a sua frota municipal em 12,1%”, valor que implica que, “em quatro anos, se beneficie de uma poupança de € 461.176 (em custos diretos e relacionados com rendas que o município deixa de suportar)”.

Para além destes evidentes ganhos financeiros, o modelo de gestão de frotas da Câmara Municipal de Oeiras permitiu uma poupança efetiva de cerca de três toneladas de CO2, o que se traduz num benefício ambiental inquestionável.

De acordo com Tiago Branco, da Escrita Digital, que acompanhou todo o projeto de implementação da aplicação XRP |Pool na Câmara Municipal de Oeiras, “esta aplicação distingue-se, antes de mais, por se adaptar às diferentes realidades das organizações, permitindo uma gestão eficiente da utilização partilhada de viaturas, pelo que foi muito fácil que toda a câmara utilizasse o nosso software, tendo este sido muito bem aceite desde o primeiro momento, tanto a nível operacional, como dos dirigentes, que rapidamente se aperceberam das suas enormes vantagens”. Neste momento, acrescenta, “a câmara utiliza cada vez mais funcionalidades da aplicação, incluindo a partilha de um mesmo veículo entre funcionários com pedidos compatíveis”. É também de referir que este software da Escrita Digital é extremamente intuitivo, sendo que “a maioria dos colaboradores que solicita veículos, fá-lo sem qualquer formação específica”.

A família de ferramentas XRP |Frotas é composta por três módulos, XRP |Gestão de Frota, XRP |Pool e XRP |Gestão de Oficina, que, utilizando os conceitos de portal e de workflow, permitem ganhos significativos de produtividade e reduções de custos, podendo ser utilizados em conjunto ou como ferramentas autónomas.

Fonte: fleetmagazine

BMW vai investir US$ 264 mi em primeira fábrica no Brasil

A construção da fábrica começará em abril de 2013 e está previsto que as instalações entrem em operação em 2014

O vice-presidente da empresa alemã BMW, Ian Robertson, anunciou nesta segunda-feira que vai investir US$ 264 milhões (R$ 535 milhões) na construção da primeira fábrica da companhia no Brasil, que também será a primeira na América Latina.

Robertson revelou os números após uma reunião com a presidente Dilma Rousseff, que ofereceu “apoio absoluto” ao projeto, explicou o diretor da BMW aos jornalistas.

A construção da fábrica começará em abril de 2013 e está previsto que as instalações entrem em operação em 2014, quando serão produzidos os primeiros 30 mil veículos da empresa alemã no Brasil.

A fábrica será instalada na cidade de Araquari, onde será feita “a montagem completa” dos automóveis, disse Robertson.

Por enquanto, a empresa produzirá somente o modelo BMW X1, mas a linha será ampliada de acordo com a demanda dos clientes no país, afirmou Robertson, que também disse que “a produção vai estar relacionada com as vendas”.

Fonte: exameabril

ALD Automotive fica com frota da Banif que vale 3.000 carros

A ALD Automotive vai ficar com a gestão de cerca de 3.000 veículos da frota activa do Banif Rent através da plataforma operacional da ALD Automotive.

Com esta parceria, a ALD Automotive coloca a sua já longa experiência na construção e implementação de parcerias de externalização da gestão de frota ao serviço de uma das referências do mercado bancário nacional.

A ALD Automotive Portugal tem uma Rede de Distribuição Indirecta baseada em acordos com diversas entidades, nomeadamente com grandes grupos de retalho automóvel e entidades bancárias.

“A ALD é uma operadora com experiência comprovada neste tipo de abordagem ao mercado” disse Guillaume de Léobardy, director-geral da locadora.

O dirigente acrescenta ainda que “quando os nossos concorrentes têm de escolher uma empresa para gerir a sua frota, a escolha natural recai sobre a marca de qualidade que é hoje a ALD Automotive. E esta parceria em particular, reforça de forma substancial a nossa posição no mercado nacional”.

Fonte: fleetmagazine

Táxis de Londres eleitos como os melhores do mundo

Os táxis de Londres foram votados os melhores do mundo pelo quinto ano consecutivo, de acordo com pesquisa anual da Hoteis.com. A capital do Reino Unido conquistou 11% dos votos, seguida por Nova York, com 6,4%, e Tóquio, com 5,6%.

Turistas votaram de acordo com sete categorias, das quais os icônicos táxis pretos de Londres lideraram em cinco – simpatia, conhecimento do trajeto, limpeza, segurança e qualidade de direção – ao mesmo tempo em que foram eleitos o pior na categoria valor. Nova York passou Londres no posto de melhor cidade com disponibilidade de frota, com seus famosos taxis amarelos. Já Bangkok liderou a lista de melhor valor.

Apesar de Londres e Nova York estarem à frente na primeira e segunda posição, os taxis de países da região Ásia Pacífico estão crescendo em popularidade, com Tóquio, Xangai e Bangkok se qualificando entre o top cinco.

A pesquisa sobre táxi da Hoteis.com também revelou algumas atividades não convencionais de turistas de todo mundo. Entre os brasileiros, metade dos entrevistados (50%) assumiu ter dormido dentro do táxi, enquanto 20% contou ter mudado de roupa. Comprovando a alegria dos brasileiros, 30% das pessoas que participaram da pesquisa afirmaram que já cantaram durante o trajeto de táxi

Segurança foi votada como a qualidade mais valorizada no táxi, seguida por conhecimento do trajeto e valor. E a nação que mais gasta com táxi é a Austrália, enquanto os italianos são os que menos usam esse meio de transporte.

Fonte: brasilturis

Mercedes apoia frota de investigação

A Mercedes está a participar naquilo que considera “o maior ensaio operacional de veículos interligados de todo o mundo”, num projecto de comunicação entre veículos

A Mercedes-Benz Research & Development North America está a apoiar a implementação dos sistema de comunicações Veículo a Veículo (V2V) do Departamento de Transportes dos EUA. Este é, de acordo com os responsáveis alemães, o “maior ensaio operacional de veículos interligados de todo o mundo”, envolvendo mais de 2800 automóveis de passageiros, comerciais e de transportes. O objectivo deste teste é a avaliação, em cenários reais, da tecnologia de segurança automóvel com base na comunicação sem fios entre veículos.

Para a Mercedes, este tipo de comunicação, em combinação com os sistemas de assistência ao condutor, é um passo importante para alcançar uma condução livre de acidentes. Nestes ensaios estarão envolvidos oito C 300 e três camiões Freightliner. Os veículos de passageiros possuem luzes LED no painel de instrumentos, que acendem para avisar o condutor de um risco de colisão iminente. Nos veículos comerciais, o aviso é dado através de um tablet instalado no habitáculo.

Este não é o único projecto desta área em que a Mercedes participa. O construtor germânico está envolvido no projecto simTD. (Safe Intelligent Mobility – test field Germany), com o objectivo de testar a adequação dos sistemas V2V à utilização diária em situações reais de trânsito.

Fonte: automotor

Volkswagen pondera criação de uma submarca low-cost com preços até 10 mil euros

Impulsionada pelo sucesso de projectos como o da Renault, com a Dacia, a Volkswagen prepara-se para seguir os passos do construtor francês e, a exemplo também da Nissan, que quer fazer regressar a Datsun, lançar uma marca low-cost.

A notícia foi avançada pelo site Automotive News Europe, que, citando fontes do Grupo Volkswagen, fala do interesse do construtor germânico em possuir uma marca através da qual pudesse comercializar, nos mercados ditos emergentes e até mesmo em alguns países europeus de menor capacidade financeira, veículos com preços entre os 5.000 e 10.000 euros.

Esta submarca contaria, de resto, não apenas com um único modelo, mas com uma gama, da qual fariam parte uma berlina de quatro portas, uma carrinha e um pequeno MPV.

Ainda de acordo com a revista alemã Auto Bild, estes veículos teriam como base gerações anteriores de modelos Volkswagen (motores e transmissões) e não disporiam de qualquer equipamento adicional, como airbags, para assim manter baixos os preços de venda ao público.

Contudo, no caso dos airbags, tal solução só poderia ser colocada em prática nos mercados emergentes, já que, na Europa, estes sistemas de segurança são obrigatórios.

Fonte: diariodigital