Vagões portugueses impressionam no Innotrans

Apresentados no Innotrans, que decorreu em Berlim, na Alemanha, entre os dias 18 e 21 de setembro, os vagões Eco-pickers são uma inovação portuguesa que impressionou o mercado internacional. Fabricados pela Metalsines, destinam-se ao transporte de camiões ou semirreboques. Contrariamente às soluções atualmente disponíveis no mercado, dispensam qualquer dispositivo elétrico, pneumático ou adicional. Além disso, operam praticamente em qualquer local, permitem carregar e descarregar de forma fácil e rápida, não necessitando de um terminal específico nem de recurso a equipamento adicional para operação (como gruas).

«É, assim, um vagão que, a muito baixo custo, vai permitir a conciliação do transporte rodoviário com o ferroviário, permitindo, e pela primeira vez, um funcionamento com entregas praticamente porta-a-porta uma vez que pode carregar/descarregar um camião praticamente em qualquer estação ferroviária», explicou Luís Nunes, CEO da Eco-Pickers à TR. De acordo com o responsável, «a sua pertinência pode assim ser justificada por imperativos ambientais (retirando vagões da estrada melhoramos o ar que respiramos), económicos (elevado custo do petróleo, custos com os condutores de camiões, e/ou portagens) ou por motivos de acessibilidade (no caso em que os acessos rodoviários são difíceis/morosos e o trajeto via ferrovia é mais rápido e seguro)».

Existem dois modelos destes vagões: O “Whole” – possuindo dois bogies pode transportar um camião inteiro;

O “Multi” – Especialmente indicados para semi-reboques, cada vagão possui apenas um bogie (partilhado). É assim e também um vagão extremamente barato.

Numa mesma composição ferroviária é possível integrar os dois tipos de vagões: um camionista pode levar o seu camião completo (tractor + semirreboque) e, no mesmo comboio, levar e por exemplo 4 ou 5 semirreboques que «chegando ao seu destino, pode sozinho descarregar, distribuir e depois trazer de volta», refere Luís Nunes. Pelas suas caraterísticas construtivas, pode ainda facilmente transitar entre bitolas diferentes sem necessidade de descarregar.

«O projeto é nacional, está patenteado internacionalmente e pode ser adaptado a qualquer rede ferroviária, ou seja, tem ainda um forte potencial gerador de emprego e de comércio externo/exportações», explicou o responsável à TR, referindo as mais-valias deste vagões, que poderá conhecer mais aprofundadamente na edição número 115 da Transportes em Revista.

Fonte: transportesemrevista

Anúncios

Euromaster chega a Portugal

Depois do êxito da implementação da franquia em Espanha, a Euromaster inicia com força a sua atividade em Portugal. No passado dia 10 de agosto, 28 sociedades com 48 centros de serviço, até agora membros da rede Vialider, aderiram à franquia Euromaster Portugal, unindo-se assim à rede europeia líder em pneus e manutenção integral de veículos de grande público e profissionais.

Com esta expansão em Portugal através da franquia, a Euromaster Espanha e Portugal fortalece a sua posição no sector com uma presença geográfica cada vez mais importante com um total de 525 centros membros da Rede Euromaster, dos quais 270 são centros franquiados.

Desta maneira fica implantada em Portugal a oferta vencedora da Euromaster caracterizada pela sua vasta oferta de produtos e serviços exclusivos, prestados com um grande profissionalismo na rede mais homogénea do mercado.

Fonte: revistadospneus

Audi reinventa turbocompressores

A Audi revelou as primeiras informações relativas a um motor Diesel experimental que estreia um turbocompressor de atuação elétrica numa solução de dupla sobrealimentação. Trata-se de um V6 3.0 biturbo com 313 cv e 650 Nm que utiliza dois turbocompressores (com volumes diferentes) em série que resolvem, teoricamente, o problema do «turbo-lag». Isto porque, se o turbocompressor de tamanho maior continua a utilizar a pressão dos gases de escape, o mais pequeno utiliza eletricidade, em vez da pressão dos gases de escape, para poder rodar a alta velocidade mesmo a baixa rotação, ultrapassando um problema físico que dificultava o funcionamento eficaz do turbo mais pequeno. A Audi explica que, graças a este sistema, o motor apresenta uma disponibilidade fora do comum desde o arranque, ultrapassando largamente uma unidade V6 BiTDI convencional em arranque.

Esta solução, que poderá ser a primeira que ultrapassa, totalmente, o problema do «turbo lag», poderá ser implementada na próxima geração do Audi A4, já com base na nova plataforma modular longitudinal e com previsão de lançamento estimada até 2014.

Fonte: autohoje

 

Mob Carsharing e Citizenn estabelecem parceria

A Transdev Mobilidade e a Carristur estabeleceram uma parceria que permitirá aos clientes de cada um dos sistemas de “car sharing”, Citizenn e Mob Carsharing, utilizarem ambos os serviços no Porto e em Lisboa, e vice-versa, sem que seja necessária nova adesão ou novo cartão de acesso. O utilizador adere ao serviço na cidade que mais lhe convier e poderá utilizar os dois serviços, pagando apenas o que consumir.

A Citizenn Car-sharing, serviço da Transdev Mobilidade, e o Mob Carsharing, da Carristur, estão disponíveis 365 dias por ano, 7 dias por semana e 24h por dia, através do telefone e da Internet, permitindo aos seus clientes reservas dos veículos no momento em que estes necessitam. Basta para isso que seja indicando o período da reserva, o veículo e parque pretendido.

Ambos os serviços dispõem de oito parques cada um, a Citizenn Car-sharing no Porto e o Mob Carsharing em Lisboa, localizados em pontos estratégicos das cidades, de fácil acesso por transportes públicos. Desta forma, particulares e empresas poupam tempo e dinheiro, ao mesmo tempo que têm uma mobilidade ambientalmente mais sustentável.

Depois de reservar, o cliente dirige-se ao parque e veículo marcados previamente, coloca o seu cartão de acesso no leitor e a viatura abre automaticamente. A partir deste momento, o cliente pode usufruir da sua viagem durante o período indicado e no fim devolve o veículo ao parque de origem.

Fonte: transportesemrevista

Aplicação móvel da EMEL facilita estacionamento em Lisboa

Precisa de ajuda para encontrar o local mais barato para estacionar o carro em Lisboa? A EMEL apresenta hoje uma aplicação que tem precisamente este fim, para além de permitir localizar viaturas que tenham sido rebocadas.

O EMEL Mobile já está disponível há algumas semanas nas lojas de aplicações da Apple, BlackBerry e Android, e pode ser instalada gratuitamente nos smartphones que suportem estes sistemas operativos.

Na App Store a aplicação foi publicada em Julho, mas foi atualizada esta semana, com uma versão mais estável, que inclui melhorias na área de definições e consulta de termos de utilização e privacidade, limpeza do mapa e possibilidade de ligar e desligar a localização.

Ao Google Play a nova versão chegou a 10 de setembro e requer a utilização do Android 1.5 ou superior.

Para os dispositivos BlackBerry a aplicação está também pronta a ser descarregada a partir do BlackBerry App World.

A EMEL refere ainda que a aplicação permite o acesso a informações de trânsito em tempo real e consulta do estado da viatura do utilizador.

Fonte: teksapo

“Se a formação é cara, aposte na ignorância”

O mercado tem exigido novas práticas de gestão por parte das empresas de transporte. Lentamente, velhos paradigmas de gestão artesanais têm sido mudados. A formação na área comportamental tem-se assumido como uma ferramenta estratégica de excelência para a sua alavancagem.

Desafios No nosso ramo, as principais dificuldades para a realização de ações de formação da área comportamental consistem no fato de os motoristas acharem que estas ações não irão acrescentar valor para si próprios, e que parte dos empresários, felizmente um número cada vez mais reduzido, acharem que a formação não é mais que um custo.

Fatores críticos de sucesso

A formação, como fator estratégico de uma organização, será potencializada se estiver inserida no planeamento estratégico da organização, devendo fazer parte das ferramentas para a conquista de metas definidas.

Fazer com que toda a hierarquia, sem exceção, participe em ações de formação da área comportamental, favorece o estabelecimento de um “clima” organizacional mais favorável.

Os trabalhadores nas empresas precisam de desaprender para reaprender novos procedimentos, desde o motorista ao CEO. A empresa deve ser entendida como um organismo vivo, que escolhe onde e como quer chegar.

Incorporando conceitos como o da flexibilidade, polivalência, win-win, facilitam-se relações mais prazerosas de trabalho com repercussão direta ao nível da motivação e cooperação, sendo a formação um instrumento de grande importância para se adquirir competências, conhecimentos, habilidades e mudança de atitudes.

O que fazer?

Mesmo com formação, mudar atitudes e comportamentos nem sempre é fácil. Assim, e como comportamento gera comportamento, que tal, numa primeira fase, tentar mudar o comportamento de alguns profissionais-chave da sua empresa? Para começar, a mudança passa por si.

Já se lembrou, por exemplo, de premiar os motoristas que se destacaram? Mas se o fizer, faça-o sempre baseado numa fórmula transparente, mensurável e perfeitamente entendível por todos. Pode promover o modelo Motorista do Mês, premiando-o perante os colegas.

Pode criar um kit de boas vindas para os novos motoristas, onde se explique as regras da empresa, os seus direitos e deveres, como agir em caso de conflito (princípios básicos da Gestão de Conflitos), por exemplo. Será um instrumento simples de executar, e uma forma de dizer: “Agora faz parte da equipa e contamos consigo. Vamos trabalhar?”.

Seja credível. Especialmente junto dos motoristas de pesados, é comum existirem colegas Gestores de Frota que não têm carta de pesados. Como poderá um Gestor de Frota argumentar junto de um motorista que a sua condução não é a mais adequada, se este nem tão pouco tem habilitação legal para conduzir veículos pesados? Ouça os seus motoristas e construa a partir daí. Melhor que os inquéritos, o primeiro ponto de informação sobre a satisfação dos clientes são os motoristas.

Numa segunda fase, procure profissionais experientes na área comportamental, que possam ajudar a por em prática os conceitos de equipa, polivalência, flexibilidade, apoio, cooperação, etc. conduzindo à prossecução da missão da sua empresa.

Conclusão

Não é possível ter empresas de excelência com pessoal impreparado, mal treinado e sem competências operacionais e relacionais/emocionais desenvolvidas, sendo que são inúmeras as variáveis que poderão influenciar os resultados das ações de formação, sendo a mais importante o ambiente organizacional.

E lembre-se que não pode pedir ao seu pessoal qualidades que estes não têm.

E pense:

“Só as estátuas é que não mudam e nós sabemos o que os pombos lhes fazem”

Por: Marcelo Oliveira, gestor de frota
www.marceloxoliveira.com

Publicado em fleetmagazine (ver aqui)

Gestão Oficinal: Workshop Formação dia 26 Setembro em Lisboa

O Workshop Formação “Gestão Oficinal” é O segundo de uma série de três Workshops Temáticos que a AP Comunicação está a realizar e que fazem parte do Programa “Campanha Formação 2012” publicada no Jornal das Oficinas.

O objectivo destes Workshops Temáticos, é apresentar ao vivo os temas abordados em cada Grupo da Campanha e dar informação útil sobre os procedimentos que os gestores de oficinas automóvel e os distribuidores de peças auto devem seguir para tornarem as suas empresas mais eficazes e rentáveis.

Convidamos por isso, os gestores de oficinas automóvel a participarem neste segundo Workshop Temático de Formação, dedicado à “Gestão Oficinal”.

Será uma excelente oportunidade para conhecerem as novas tendências, em áreas tão importantes do Pós-venda Automóvel.

O 2º Workshop Formação “Gestão Oficinal” realiza-se no dia 26 setembro de 2012, no Hotel Vila Galé Opera, em Lisboa.

A primeira parte será apresentada por Dário Afonso, autor da Campanha Formação e na segunda parte os participantes vão assistir à apresentação de casos práticos feito por responsáveis de várias empresas.

Para mais informações sobre o Workshop, nomeadamente Programa e Inscrições, pode consultar o site www.eventosap.com.

Fonte: jornaldasoficinas

Veja a lista dos 10 carros mais vendidos de todos os tempos

Na lista divulgada pelo site Iolmotoring com os 10 carros mais vendidos da história, o Toyota Corolla reina mais uma vez. Ao todo foram 39 milhões de unidades vendidas ao longo de 10 gerações desde 1966.

Em segundo lugar, a pickup preferida no mercado norte-americano: a F-150 que sempre figura no pódio do segundo maior mercado mundial.

Outro nome popular no terceiro lugar: o VW Golf com 27 milhões de carros vendidos desde o seu lançamento em 1974, enquanto o Beetle vem na sequência com 23 milhões de vendas. O Ford Escort assume o quinto lugar com 20 milhões de unidades entre 1968 e 2003.

No sexto e no sétimo lugares, o Honda Civic e Accord, com 18 e 17 milhões de unidades, respectivamente.

O primeiro veículo produzido em grande escala, o Ford T, fica na oitava posição com 16,5 milhões, enquanto o Volkswagen Passat e o Chevrolet Impala, completam o top 10 com 15 e 14 milhões de vendas, respectivamente.

Lista dos carros mais vendidos de todos os tempos

1. Toyota Corolla – 39 milhões

2. Ford F-150 – 34 milhões

3. VW Golf – 27 milhões

4. VW Beetle – 23 milhões

5. Ford Escort – 20 milhões

6. Honda Civic – 18 milhões

7. Honda Accord – 17 milhões

8. Ford Modelo T – 16,5 milhões

9. VW Passat – 15 milhões

10. Chev Impala – 14 milhões

Fonte: carplace

Produção lusa suporta expansão da Honda

A fábrica portuguesa Tesco Componentes para Automóveis é parceira privilegiada da expansão europeia da Honda

Com o início da produção do novo modelo CR-V, a Honda avança para mais uma etapa do seu programa de investimento em novos modelos e motores na sua fábrica inglesa de Swindon.

Este programa, superior a 330 milhões de euros, representa o maior investimento nesta fábrica da Honda ao longo da última década. Este investimento irá suportar a produção do novo CR-V (Setembro de 2012) e do novo motor 1.6 diesel para o Honda Civic (Dezembro de 2012).

Com vista à produção destes novos produtos, foram recrutados, no início do ano, 500 novos trabalhadores que receberam formação específica, aumentando assim a força de trabalho da fábrica para um total de 3.500 pessoas.

Até ao final de 2012, prevê-se que a capacidade de produção na fábrica britânica duplique os números do ano anterior, atingindo mais de 183.000 unidades. O fabricante nipónico espera alcançar uma produção de 250.000 unidades dentro dos próximos 3 anos.

Como parceiro privilegiado para esta fase de expansão, a Honda escolheu a fábrica portuguesa Tesco Componentes para Automóveis, com sede no concelho de Vila Nova de Famalicão, que já é fornecedora da marca desde 1993.

A Tesco irá fornecer diversos componentes em alumínio fundido não só para o novo CR-V, que agora inicia a produção mas também para o revolucionário motor diesel 1.6 que equipará o Civic a partir do início de 2013.

Exportando 100% da sua produção, a Tesco alcançou, em 2011, um volume de facturação de 13,5 milhões de euros e emprega actualmente 230 colaboradores, laborando num horário contínuo (24h/dia 7dias/semana) e produzindo mensalmente cerca de 230 toneladas de componentes de alumínio.

“A Honda Portugal congratula-se com esta nova fase de expansão da produção e investimento em novos modelos para o mercado europeu. Estamos particularmente satisfeitos pelo facto de existir mão-de-obra e tecnologia portuguesa altamente especializada directamente envolvida na produção destes novos modelos que estarão dentro em breve a ser comercializados em Portugal”, referiu António Gaspar, director-geral da Divisão Automóvel em Portugal, acrescentando: “A Tesco é um fornecedor fundamental para a fábrica de Swindon e o facto de ter sido recentemente distinguida pela sua performance na área da qualidade, espelha bem a qualidade da nossa mão-de-obra e empreendedorismo”.

Fonte: lusomotores

Tournée pela Europa para mostrar veículos a hidrogénio

Através desta tournée, na qual participam, entre outras construtoras, Honda, Hyundai e Mercedes-Benz, os seus organizadores querem despertar o interesse dos europeus pelos veículos eléctricos a hidrogénio.

Ao longo deste mês, numa aventura que começou na última quinta-feira, dia 13 de setembro, em Hannover, na Alemanha, uma série de veículos eléctricos a hidrogénio querem percorrer o velho continente.

Organizada pela Comissão Europeia, a European Hydrogen Road Tour surge do European Fuel Cells and Hydrogen Joint Undertaking, o programa europeu que pretende alertar condutores e Estados-membros para a importância deste combustível na sustentabilidade, tanto energética, como ambiental.

Entre os veículos presentes, Honda FCX Clarity, Hyundai ix35 FCEV e Mercedes-Benz B-class F-CELL apostam em chegar a Copenhaga daqui por um mês, isto após percorrer outras seis cidades europeias: Bristol, Cardiff, Londres e Swindon, no Reino Unido, a cidade das luzes, Paris, também Bolzano, em Itália, terminando depois na península escandinava.

O hidrogénio consumido durante este périplo será fornecido pela H2 Logic Denmark, existindo naquelas oito cidades as infra-estruturas necessárias para o reabastecimento dos veículos.

Fonte: turbo