Primeiro airbag de passageiros celebra 25 anos

Foi em 1987 que a Mercedes-Benz instalou no modelo Classe S, na série 126, o primeiro airbag de passageiro dianteiro num modelo de produção. Esta tecnologia celebra agora 25 anos de existência tendo sofrido um grande desenvolvimento e expansão para muitas outras zonas do carro ao longo dos tempos.

A apresentação do primeiro airbag de passageiro dianteiro num modelo de produção aconteceu no Salão Automóvel de Frankfurt em Setembro de 1987 e fez aumentar os padrões de segurança nos veículos de passageiros da Mercedes-Benz.

Esta tecnologia utilizava a mesma tecnologia do sistema SRS (Supplemental Restraint System) que tinha sido introduzido como um opcional no Classe S, série 126, em 1981. Este sistema consistia num airbag de condutor e num pré-tensor do cinto de segurança.

O sistema adaptado ao passageiro da frente chegou ao mercado em 1988 nos Classe S sedan e coupé e em 1994 a Mercedes-Benz já tinha estendido esta tecnologia a todos os seus modelos. Contudo, os engenheiros da marca alemã não pararam por aqui e continuaram a desenvolver sistemas baseados no SRS, criando os airbags laterais e de cortina nos anos seguintes.

O desenvolvimento da tecnologia

A Mercedes começou a desenvolver pesquisa sobre sistemas de airbag em 1966, com os primeiros testes práticos a acontecerem em 1967. O objetivo fundamental da marca alemã era aumentar a segurança dos seus automóveis. O desenvolvimento desta tecnologia também se deve à pesquisa levada a cabo nos Estados Unidos que era vista como promissora. Os principais pioneiros da tecnologia que já tinha sido patenteada nos anos 50 foram o alemão Walter Linderer e o americano John W. Hedrik.

No entanto, o percurso até ao aparecimento do primeiro protótipo de produção foi árduo principalmente devido aos necessários sistema de sensores e de geração de gás. Esta situação ficou evidente com os sistemas das marcas americanas que utilizaram airbags de ar comprimido como alternativa aos cintos de segurança. Os testes desta tecnologia provocaram várias lesões e chegaram mesmo a provocar algumas mortes. Foi então que os engenheiros da Mercedes chegaram a outra solução para chegar a um “contentor insuflável dobrado, que enche automaticamente em situação de perigo” (descrição de Linderer para a sua invenção na descrição da patente): o airbag não funcionava como um substituto do cinto de segurança, mas era sim um suplemento. Além disso, o gás não foi armazenado a alta pressão.

A patente do novo sistema foi registada a 23 de outubro de 1971 e passou a ser o documento base para os seguintes desenvolvimentos da tecnologia de airbags da Mercedes-Benz.

A introdução dos primeiros airbags de condutor e de passageiro acabaram por se estender a toda a indústria automóvel e é hoje um dos principais elementos de segurança automóvel.

Fonte: autoviva

Anúncios

Publicado por

Marcelo Oliveira

Profissional com experiência consolidada na Gestão de Frotas em empresas de serviços de transporte ou com parque automóvel de volume. Mais detalhes em https://marceloxoliveira.com/quem-e-marcelo-oliveira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.